O Gambito da Rainha (livro e série)

Livro da vez: “O Gambito da Rainha”, de Walter Trevis.

Quis ler o livro antes de ver a série da Netflix e não morri de amores pela escrita de Walter Trevis. O estilo é tão seco que mesmo nas situações mais emocionais é difícil sentir alguma coisa. Beth Harmon é uma protagonista interessante e o livro cobre uma gama variada de assuntos, como abandono, adoção, feminismo, racismo e dependência de drogas, mas o autor passeia por tudo muito rapidamente, sem aprofundar nada e exagerando nos sumários narrativos. Tive a sensação de ler uma notícia de jornal ou, talvez, de assistir um documentário ao estilo antigo, no qual os fatos simplesmente se encadeiam de forma crua.

Trevis parece um escritor impaciente. O tempo todo quer apenas chegar ao grande final, ao desfecho, sem muitas delongas. De fato, o final é satisfatório, inclusive com uma pausa ou outra para que o leitor possa empatizar mais com Beth.

Quanto às descrições das partidas de xadrez, não chegam a ser tediosas, mas acho que o leitor com conhecimento amador do jogo (ou nenhum conhecimento) tenderá a fazer uma leitura em diagonal, buscando as reações e emoções e dando pouca atenção às posições das peças. Foi o que eu fiz.

No geral, um livro decente, mas que promete muito mais do que entrega.

A série, por outro lado, é excelente. A condução é dramática sem ser apelativa e várias lacunas deixadas pelo livro são preenchidas. Uma passagem absolutamente forçada do livro – importante para o desfecho, mas quase um deus ex machina – é brilhantemente corrigida na adaptação da netflix. As atuações são ótimas e dá pra sentir a atmosfera tensa das partidas. As relações entre os personagens são melhor construídas e algumas pequenas mudanças nelas dão mais verossimilhança do que se encontra no livro.

Estrelinhas no caderno: 3 estrelas pro livro e 5 estrelas pra série.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *