Coisas Boas de Setembro

Se agosto passou voando, setembro se arrastou. Foi um mês marcado por trabalho e stress, e o comecinho de outubro não está muito melhor.

Por outro lado, foi um mês em que consegui ler muito: dez livros no total, marca que raramente atinjo (a última vez foi em janeiro, e antes disso não lembro de ter conseguido em nenhum momento desde a adolescência). A responsável foi a @soterradaporlivros, que comemorou o próprio aniversário e o de Star Trek com a maratona #JornadaLendoSciFi e me indicou uns livros ótimos para as categorias criadas por ela para a maratona.

Um outro evento contribuiu para o volume de leitura. Em meados de agosto, o youtube resolveu que não mandaria mais emails avisando de novos vídeos. Sou inscrita em diversos canais, de aulas de francês a lettering, passando por cultura pop, café e vinho. Geralmente, tomava o balde de café matutino em companhia dos vídeos, o que me tomava entre meia e uma hora por dia. Como não recebo mais os avisos por email, acabei perdendo o hábito, e esse tempo foi direcionado para a leitura. Resultado: reclamei muito quando o youtube parou de enviar as notificações por email, mas agora estou até achando bom.

Livro favorito: vou destacar A Curva do Sonho, de Ursula K. Le Guin, e All Systems Red, de Martha Wells. O primeiro é um clássico da ficção científica e uma verdadeira “viagem”: George Orr é um cara que tem “sonhos efetivos”, ou seja, que transformam a realidade; ninguém acredita e ele acaba encaminhado a um psiquiatra para tratamento, mas o psiquiatra mais atrapalha que ajuda. O segundo livro (ainda sem tradução no Brasil) é na verdade uma novela cuja protagonista é uma unidade de segurança biomecânica autointitulada “murderbot” que hackeou o próprio sistema e passa as horas vagas vendo seriados – pode não parecer, mas é uma personagem muito carismática.

Filme favorito: entrei numas de ver filmes antigos depois de um agosto cheio de filmes recentes e entediantes. Nada de Novo no Front (1930) merece destaque: o filme acompanha adolescentes alemães que largam a escola para lutar na Primeira Guerra Mundial em busca de honra e aventura. O que encontram, claro, é fome e morte – além da consciência de que o “inimigo” é alguém como eles próprios. É baseado no livro de mesmo nome de Erich Maria Remarque. O falecimento da juíza da Suprema Corte norte-americana Ruth Bader Ginsburg me motivou a assistir On the basis of sex (disponível na amazon prime video), que conta o início da sua carreira e é interessantíssimo.

Série favorita: nada de novo nesse front – estou revendo (pela terceira vez) Gilmore Girls.

Bônus: você conhece o Coursera? É uma plataforma de cursos online, vários deles grátis e com excelente conteúdo. Para quem entende inglês, é um prato cheio, já que todas as aulas têm legenda e transcrição nesse idioma. Se não é o seu caso, ainda assim vale a pena dar uma olhada, porque há bastante conteúdo em português e em outros idiomas. Já fiz alguns cursos na plataforma e em setembro comecei e terminei o curso Human Rights for Open Societies, que recomendo.

Curso com barista italiano no McDonald’s

O barista Andrea Lattuada.
O barista Andrea Lattuada.

Essa é pra quem mora em Brasília e está com a agenda livre: nos próximos dias 23 e 24 de setembro (sexta e sábado que vem), o McDonald’s oferecerá workshops com Andrea Lattuada, coordenador do Campeonato Italiano de Barista (e campeão em 2003).

Os participantes aprenderão mais sobre o cultivo do café, as diferenças entre os grãos, os processos de torra e moagem e as técnicas de extração em máquinas de espresso. Também verão em ação a latte art (que, um dia, ainda vou aprender).

As inscrições são gratuitas e limitadas, e devem ser feitas na unidade McCafé em que você deseja fazer o curso, que dura pouco mais de uma hora. Eis o calendário:

23 de setembro:

  • McCafé do Taguatinga Shopping, às 17 horas.

24 de setembro:

  • McCafé do Pátio Brasil Shopping, às 11h30m.
  • McCafé do Park Shopping, às 15 horas.

Não poderei comparecer, mas aproveite por mim!