Blog Retrospectiva 2010

Recordar é viver, já disse alguém. Nesta retrospectiva (que aprendi a fazer com a Nospheratt), selecionei um texto por mês, durante 2010.  São, na minha opinião, os melhores artigos do DdF nos últimos doze meses.

Divirta-se com a coletânea!

Janeiro

Vergonha, vergonha. Não escrevi nada em janeiro. Nunca antes na história deste país… bom, você sabe. Que isso sirva de lição para mim.

Fevereiro

É a Via, é bonita e é bonita! – o mês também foi de pouca produção, mas marcou a transferência do ddf para a Via Hospedagem. Sou uma blogueira mais feliz desde que migrei para a Porto Fácil, em 2007. A empresa do Janio se especializou em serviços de grande porte e mudei para a Via, do Becher. São as únicas empresas de hospedagem que recomendo de olhos fechados.

Março

Nada? Nada. Pois é.

Abril

Ai, ai. Essa retrospectiva não vai muito bem, né não? Quem sabe escrevo mais em 2011?

Maio

Tem figurinha repetida? – finalmente um texto! Meu mais novo hobby em 2009 e 2010 foi colecionar figurinhas. Dei uma pausa na brincadeira por falta de tempo (dá pra perceber pelo ritmo baixo de postagens?), mas em 2014 volto pra fazer o álbum da Copa.

Junho

Samantha Sweet, executiva do lar – a resenha entra na retrospectiva por ser de um dos meus livro favorito do gênero chick lit, empatado com primeiro é O Diário de Bridget Jones.

Julho

Arroz à Piamontesa – um dos meus pratos preferidos! Fiquei espantada quando descobri como é fácil prepará-lo.

Agosto

Canelone da Preguiça – uma das várias receitas que inventei esse ano com o que tinha à mão. Essa já foi repetida muitas vezes.

Setembro

O Minimalista – grande achado culinário do ano.

Outubro

Violando minhas regras, recomendo dois artigos.

Eu tenho muita coisa. – o texto que mais gostei de fazer em 2010. Esse artigo foi, para mim o início de uma nova forma de pensar as compras, o consumo e o consumismo. Trouxe-me uma verdadeira mudança de hábito.  Na verdade, entre tudo que já escrevi esse texto se destaca por sua importância pessoal.

Buenos Aires – city tour. – meu artigo mais trabalhoso de todos os tempos. Foram mais de cinco horas pesquisando, escrevendo, linkando – sem contar o tempo gasto para taguear e legendar as fotos. Faz parte de uma série de textos sobre a minha viagem por Buenos Aires e Montevidéu.

Novembro

Montevidéu – dicas variadas. – meu texto preferido sobre o Uruguai ainda não foi escrito e será sobre o Teatro Solís, pela beleza do lugar, mas esse merece o destaque de novembro por ter contado com uma grande ajuda da minha querida Nospheratt, que também colaborou tremendamente na legendagem das fotos.

Dezembro

Desafio Literário 2011 – Minha Lista de Livros – tenho esperança de que a proposta faça pelo meu hábito de ler o mesmo que o Eu tenho muita coisa fez pelo meus hábitos na hora de me arrumar: que traga renovação, estimule a criatividade e gere um compromisso positivo.

Que venha 2011 – com mais artigos!

Alugue um Amigo

Calma, sei bem que amizade não tem preço. O assunto aqui é o Rent a Local Friend, um serviço inusitado que parece bacana.

A idéia partiu de uma jornalista luso-brasileira que acredita que a experiência da viagem fica mais rica quando se pode contar com a ajuda de um nativo. O site explica e eu transcrevo:

Seu amigo local desenhará e irá propor um itinerário personalizado baseado em lugares charmosos e descolados para visitar, sempre de acordo com os seus interesses pessoais.

Isto significa que você poderá aproveitar o seu dia da melhor maneira possível, visitando somente aquilo que te interessa de verdade e evitando as tão comuns armadilhas turísticas ou perdendo tempo tentando entender “onde estou, para onde vou e o que devo fazer”. Diga adeus aos preços turísticos e problemas de comunicação!

O programa está disponível em poucas cidades por enquanto, inclusive no Rio de Janeiro e em São Paulo. 

Os preços é não são, exatamente, um passeio. Três turistas que visitem o Rio pagarão, por um dia de amigo local, 240 reais. Um dia em Paris custa 110 euros e em Nova Iorque são 140 dólares (o valor sempre pode ser rateado por três turistas). O valor não inclui alimentação ou qualquer outra despesa. Se os turistas desejarem um carro com motorista, devem contratá-lo à parte.

Certamente não é a forma mais econômica de viajar, mas penso que pode ser bastante interessante contar com um guia particular e atencioso, especialmente se você não domina a língua do país de destino e/ou não tem coragem de encarar uma viagem sem acompanhante.

O que quero mesmo saber é: você já usou (ou usaria) os serviços do Rent a Local Friend?

Porto de Galinhas: serviço

Falei que ia fazer um artigo só com detalhes técnicos dos passeios que fiz em Porto de Galinhas, não falei? Pois então, aqui está: endereços e outras dicas pra aproveitar bem sua estada em Porto.

Busquei informações no Guia Quatro Rodas Ipojuca e Porto de Galinhas, edição de 2009. O portal Visite Porto de Galinhas também é uma excelente fonte de pesquisa online e traz outras opções de passeios. Dê uma olhada no roteiro de sete dias sugerido pelo site e comece a preparar sua viagem.

Como chegar: do aeroporto de Recife a Porto de Galinhas são mais ou menos 60 quilômetros, percorridos em uma hora de carro. Você pode:

  • alugar um carro;
  • pegar um ônibus, com saída a cada meia hora, das 5h às 21h45m;
  • contratar um serviço de receptivo que te deixe dentro do hotel (previamente reservado, por favor!), como a Luck Viagens.

Verifique se o próprio hotel não fornece o transporte aeroporto-hotel-aeroporto.

Carcará: o ateliê do artista que criou a identidade visual de Porto de Galinhas recebe visitantes, mas confirme o horário de atendimento pelo telefone 81 9136 6688. Saia pelo km 7 da PE-009 (próximo ao Hotel Armação) e siga 3 quilômetros.

Jipe Safári: ótimo jeito de conhecer as cachoeiras nas proximidades de Porto. Reserve um dia inteiro para o passeio. Contato: VIC Safari Adventures, telefones 81 3562 1172,  81 8742 3540 e 81 9255 0370.

Nossa Senhora do Ó: a nove quilômetros de Porto de Galinhas, a vila tem como atrações a Praça do Baobá (Rua do Colégio, a 100 metros da Igreja de N. Sra. do Ó) e o Engenho Canoas (a 8 quilômetros a partir da PE-009. São passeios gratuitos, mas leve algum dinheiro para comprar artesanato na praça e cachaça (de 20 a 25 reais, o litro) e rapadura (2 reais, 200 gramas) no engenho. É possível incluir essas paradas no jipe safári.

Passeio de Bugue: é a melhor e mais divertida forma de conhecer as praias da região. Recomenda-se, por questões de segurança, só contratar bugueiros autorizados pela prefeitura, que têm placa vermelha. Contato via APC Buggy, na Rua da Esperança, no centro de Porto, das 8h às 15h30m, telefone 81 3552 1930. O preço varia entre 120 e 200 reais (para até quatro pessoas).

Passeio de Catamarã: o destino é a belíssima Praia dos Carneiros. Vale a pena ficar por lá o dia inteiro, comendo camarão, tomando água de coco, aproveitando o mar e a vista. O passeio é suspenso em junho; a melhor época para aproveitá-lo vai de outubro a abril. Contato: Catamarã Cavalo Marinho, telefones 81 3552 2180 e 81 8811 7393.

Piscinas naturais de Porto: compre o ingresso para o passeio de jangada na Associação dos Jangadeiros, em frente à praia, na Praça das Piscinas Naturais. Isso garante um jangadeiro treinado, com equipamento seguro e respeito ao meio ambiente. Os horários variam segundo a maré, recomendando-se passear na maré baixa. Os hotéis podem informar os melhores horários para cada dia. O passeio de jangada custa 10 reais por pessoa.

Pontal do Maracaípe: o melhor é chegar de bugue e, pra completar o passeio, procurar a Associação dos Jangadeiros do Pontal (das 7h às 17h) e contratar um passeio (10 reais por pessoa) pelo hipocampo para ver os cavalos-marinhos. Vá no fim da tarde e aprecie um pôr-do-sol espetacular.

Santeria Bar Latino: não conheci e me arrependi – disseram que a noite foi ótima. Funciona de quarta-feira a sábado. Na quarta, a programação é dedicada ao forró pé-de-serra. No sábado, tem banda de pop-rock ao vivo de qualidade. Da 1h às 3h, pista de dança comandada por DJ. A entrada custa 15 reais e o bar fica na Galeria Espaço Porto Convivência, telefone 81 3552 1505.