Não aos Vídeos no Flickr

Há um mês, o Flickr permite o envio de vídeos curtos (90 segundos) pelos usuários Pro – aqueles que pagam 25 dólares por ano para ter direito a alguns recursos extras.

Muita gente não gostou da mudança. O primeiro protesto que encontrei, já há semanas, foi no Flickr da Bruna Pazinato (do blog Fútil Futilidade):

Não aos Vídeos no Flickr

Aos poucos, fui achando outros sinais do desagrado dos usuários. No próprio Flickr, uma comunidade com mais de 30.000 membros protesta veementemente contra o novo recurso.

Assino embaixo – aliás, já assinei a petição contra os vídeos no Flickr. Cada macaco no seu galho. Há diversos serviços para compartilhamento de vídeos – para que incluir um remendo disso no Flickr, que serve ao compartilhamento de fotos, caramba?

Para piorar, vídeos e fotos são apresentados na mesma página, sem qualquer distinção além de um botãozinho “play” no canto inferior esquerdo. Clicar num vídeo por acidente seria corriqueiro, não fosse pelo feliz acaso de que a maioria absoluta dos meus contatos não aderiu à novidade.

Imaginando o pior cenário, antevejo os miguxos invadindo o Flickr, até agora despoluído, para enviar seus vídeos caseiros dos churrascos na laje, bailes funk, pagodes no quintal e afins. Argh.

O Flickr é para os fotógrafos – amadores ou profissioais, de fim-de-semana, de família, de paisagens, de encontros entre amigos… quem quer que sejam, o que quer que façam, qualquer que seja a câmera que usem. Desde que fotografem.

Convergência tem limite, oras.

10 thoughts on “Não aos Vídeos no Flickr

  1. “antevejo os miguxos invadindo o Flickr, até agora despoluído, para enviar seus vídeos caseiros dos churrascos na laje, bailes funk, pagodes no quintal e afins”

    Agora, se forem FOTOS de churrascos na laje, tá liberado, né? 😛

  2. Eu gostei da novidade. Os vídeos são curtos, e bem pessoais. Hoje em dia manejo vídeos em três sites:

    YouTube: vídeos de outros (cassetadas, reportagens, etc.);
    Vimeo: vídeos que eu produzo, longos e elaboradores. Principalmente reviews.
    Flickr: vídeos caseiros, feitos intercalados com fotos, de eventos familiares e coisas do tipo.

    O Flickr não obriga ninguém a publicar vídeos, apenas dá essa opção.

    []’s!

  3. Opa Lu!

    Imaginando o pior cenário, antevejo os miguxos invadindo o Flickr, até agora despoluído, para enviar seus vídeos caseiros dos churrascos na laje, bailes funk, pagodes no quintal e afins. Argh.”

    Felizmente na web não prosperam estas idéias elitistas e separatistas, que acreditam que existem espaços específicos para perfis culturais distintos.

    Os usuários que querem documentar, também em vídeos, suas vidas(porque nem todo mundo gosta de “rosa burguês”) não irão usar o “imaculado flick”. Pois podem fazê-lo, “de grátis”, em outras ferramentas…

    Então a elite branca com seus vídeos assépticos feitos em suas mansões privativas estarão livres de tais videos que tanto lhe assustam!

    Na web, sempre haverá a convivência do vídeo de laje feito numa câmera de 120 x 120 pixel, convivendo com os “vídeos supostamente despoluídos” da elite cultural, que filma em Mpixel e arrota caviar!

    E por último, mas não menos importante, você só assiste o video/foto que quiser, dos contatos que desejar! Não carece deste separatismo cultural besta pra poupar seu senso estético de outras possibidades estéticas! Hegemonia cultural é bem web 1.0! Não tem nada a ver com o Flickr!

    abraços

  4. GraveHeart, foto está liberada, seja do que for. 😉 O que me incomoda é vídeo numa plataforma de fotos.

    Rodrigo, o Flickr indica muito mal o que é vídeo e o que é foto, e essa é minha principal queixa. No youtube, sei o uqe vou ver; no Flickr, a coisa está ficando confusa.

    Sérgio, engraçado que, pra comunista, qualquer divergência de gosto ou opinião já é “idéia elitista e separatista”.

  5. Eu ainda não tenho uma “opinião formada” sobre os vídeos porque a maioria dos meus contatos também não aderiu… então não tive problemas em clicar sem querer onde não queria, não saber o que iria encontrar… tipo, o que quero dizer, não senti na pele, então por enquanto não fede nem cheira.

    Talvez eu mude de opinião se a coisa começar a ficar descontrolada demais, vai saber.

    Os poucos vídeos que cheguei a ver lá, forma bem curtinhos e de muito boa qualidade, pensando assim, eu não teria mesmo do que reclamar.

    Talvez, uma solução, se eles querem mesmo colocar vídeos lá, seria separar uma coisa da outra, aí quem quer ver fotos, seleciona fotos e quem quer ver vídeos, seleciona vídeos…

    =)

  6. Lu:
    Este assunto vai dar pano pra manga. Ainda bem que tem respostas convincentes.
    Bjos

  7. Luma, essa separação seria muuuuito bem-vinda!

    Anny, não gostei da tal novidade de cara… só depois percebi que tinha gente que tinha adorado! Qualquer coisa pode gerar um debate, né?

  8. Lu, eu particularmente gostei bastante da idéia e acho que boa parte das pessoas que reclamaram veementemente foi ou porque não entendeu a proposta diferenciada da novidade ou porque são fotógrafos purista ou, ainda, por dificuldade de adaptação a mudanças. Li argumentos variados e a maioria esmagadora cai em uma destas 3 categorias.

    Eu até concordo que poderia haver uma diferenciação visual maior entre as fotos e os vídeos, mas de fato o botão de play para mim, especificamente, já é suficiente para diferenciar uma coisa da outra.

    E não foi a maioria ABSOLUTA dos seus contatos que não aderiu. :p Eu tenho postado vídeos, mas por enquanto somente para família.

    Se os vídeos interferissem na habilidade dos usuários que contra eles protestam de utilizar o Flickr como já utilizam desde o início, aí sim eu veria justificativa em tanto protesto. Mas, quem não quer ver os vídeos não é obrigado a clicar, não é obrigado a assistir. Podem até dar o argumento de que a diferenciação poderia ser melhor, mas bem ou mal a diferenciação EXISTE.

    Entre os argumentos a favor dos vídeos, cito estes dois que me chamaram atenção:

    “They are only videos if you press play”.

    “If you don’t like video on Flickr, then do the smart thing: don’t watch! Keep your hands off my content, off my right to choose”.

    Eu partilho destas opiniões.

    Bjos.

    Patty.

  9. cara… que bom que eu não sou a unica a odiar a ‘novidade’
    sabe outra coisa que eu odieo com todas as minhas forças? comentario no album do orkut…
    oh cara, quem quer comentarios em fotos faz um fotolog
    TINHA que ter como bloquear, não permitir comentario [se tem, eu não descobri como]

    péssimo
    péssimo mesmo

  10. Eu também não gostei da novidade, porque parece meio confuso vídeos em uma plataforma de fotografia. Mas para tudo há uma explicação: o yahoo precisa de algo para concorrer com o já chamado por tantos de Deus Google.

Comments are closed.