Filmes favoritos em dezembro de 2022

Recentes

Arthur Moreira Lima: um piano para todos (2022): de 2002 a 2018, o consagrado pianista levou sua música e seu talento a mais de um milhão de pessoas Brasil afora, indo a cidades que nem piano tinham. 4 estrelas

Marte Um (2022): eu achava que seria um filme com forte debate político, mas é a história de uma família pobre que tenta sobreviver, prosseguir, superar barreiras e ir além do destino que lhes parece posto. Ou seja, é político, sim, mas não é partidário. 4 estrelas

Flee: Nenhum Lugar para Chamar de Lar (2021): a história real de uma família afegã que foge do país no fim dos anos 80, com foco nas transformações que a situação traumática provocou em Amin, filho caçula. Concorreu ao Oscar de melhor animação em 2022 e merecia ter ganhado no lugar de Encanto. Também concorreu ao Oscar de melhor documentário e achei-o mais interessante que o vencedor Summer of Soul. 5 estrelas

Biutiful (2010): um homem descobre que está morrendo e tenta acertar seus negócios e sua família no tempo que lhe resta. Filme pesado, triste, sensível, com uma interpretação sensacional de Javier Bardem. 5 estrelas

Direto do Túnel do Tempo

Napoleão (1927): filme mudo de quase quatro horas que usa todos os recursos então disponíveis e inventa alguns. Uma pérola dos primórdios do cinema que, espantosamente, está disponível no telecine. Vale demais para quem curte história do cinema, e sugiro ver em “capítulos”, como se fosse uma minissérie. 4 estrelas

Filmes favoritos em novembro de 2022

Vi poucos filmes em novembro e a maioria foi apenas ok, então a lista é pequena. Gandhi devia ter entrado, já que vi no dia 2, mas me atrapalhei e incluí em em outubro. Então, vamos ao que resta.

Recente

Da Colina Kokuriko (2011): uma garota meio deslocada acaba encontrando sua turma e, no processo, se apaixona por um garoto, mas talvez esse amor não tenha futuro. Enquanto isso, a turma salvar o clube da escola da demolição. Bem fofo. Animação dos estúdios Ghibli. 4 estrelas

Direto do Túnel do Tempo

Neste mundo e no outro (1946): durante a segunda guerra mundial, um piloto britânico encontra tempo para se apaixonar por uma mulher a serviço do exército norte-americano enquanto seu avião cai – e é retribuído. Ele escapa da morte por um erro celestial, mas o céu quer reparar esse equívoco. Dramédia com ótimas atuações. 5 estrelas

Filmes favoritos em outubro de 2022

Recentes

Prisioneiros (2021): o tema é o trabalho em condições análogas à escravidão e o subtexto é o homem sendo lobo do próprio homem. Rodrigo Santoro excelente. A sonoplastia ruim tira uma estrela do filme. 4 estrelas

Argentina, 1985 (2022): nem todo herói usa capa, e o promotor Julio Strassera está aí para provar, assessorado por uma turma de jovens dedicados. A história real do julgamento de nove militares que governaram a Argentina durante a ditadura. Emocionante. 5 estrelas

Uma Garota de Muita Sorte (2022): entre o presente e o flashback, a história traumática de Ani é contada. Algumas cenas podem ser consideradas fortes, mas o filme está longe de ser apelativo. Dica da @smiletic. 4 estrelas

Kung Fu Panda (2008): animais fofos e uma história bem contada – como não gostar? Menção especial para a cena do Po disputando o último dumpling com seu mestre. 5 estrelas

O Nevoeiro (2007): um nevoeiro denso cai sobre uma cidadezinha, e coisas horripilantes se escondem, prontas a atacar. Baseado em uma novela do Stephen King, é um desses casos em que o filme é melhor que o livro. 4 estrelas

Direto do Túnel do Tempo

Nos Bastidores da Notícia (1987): uma produtora percebe que o telejornalismo está se vendendo ao puro entretenimento. Um repórter talentoso não é promovido por não ser midiático. Um âncora bonito e burro é bem-sucedido. Divertido e crítico ao mesmo tempo. 4 estrelas

Viagem ao mundo dos sonhos (1985): três garotos constroem uma espaçonave e vivem aventuras muito loucas. Filme infantil, mas divertidíssimo, há tempos eu não ria tanto com um filme. Um achado que a @soterradaporlivros me apresentou. 5 estrelas

Gandhi (1982): quase documental, narra os esforços de Gandhi para tornar a Índia um país independente e unificado. Eu desconhecia várias coisas, daí ter achado o filme interessante. 4 estrelas

Filmes: os melhores de fevereiro de 2022

Sigo no ritmo do Oscar 2022.

Recentes

A Família Mitchell e a Revolta das Máquinas (netflix): meu longa de animação favorito dessa temporada. Uma adolescente consegue entrar para a faculdade dos sonhos e finalmente encontrará pessoas como ela, mas antes deverá salvar o mundo e, de quebra, entender-se com sua família. Referências a Exterminador do Futuro” e “Eu, Robô”, entre outras. 4 estrelas

Coda – no ritmo do coração (amazon prime): uma adolescente é a única ouvinte de sua família e é apaixonada por música. Termina por ficar dividida entre seguir sua paixão ou continuar a ajudar a família de pescadores, que depende dela. Filme fofo, excelentes atuações, belas canções. A diretora teve uns insights bacanas ao alienar os espectadores ouvintes em algumas cenas, demonstrando como se sentem os surdos na maioria do tempo. 5 estrelas

Four Good Days (google play): após dez anos de vício, uma mulher implora pela ajuda da mãe para se livrar da heroína. Inicialmente a mãe recusa ajuda, em uma atitude tão fria que chega a ser chocante, até que percebemos que essa história é muito longa. Seguir-se-ão quatro dias de convivência e luta. O filme aproveita para criticar o sistema médico norte-americano. 5 estrelas

Mães Paralelas (netflix): parece que o tema do Oscar 2022 é família em geral e maternidade em particular. Duas mulheres se conhecem na enfermaria de uma maternidade enquanto dão à luz, e seus destinos ficarão atados. Em segundo plano, há uma tentativa de recuperar os restos mortais de desaparecidos durante a guerra civil espanhola. Almodóvar em excelente forma – minha única ressalva é o melodrama da cena final. 4 estrelas

Direto do túnel do tempo

Nanook (1922, youtube): considerado por muitos o filme que inaugurou o gênero dos documentários. O diretor acompanha por meses uma família esquimó em sua batalha pela sobrevivência. A narrativa não é cem por cento espontânea, algumas cenas foram “posadas”, mas isso não retira a força dramática daquela realidade inóspita. 5 estrelas