Apenas Uma Vez

Ficha Técnica

  • Título original: Once
  • País de origem: Irlanda
  • Ano: 2006
  • Gênero: Musical
  • Duração: 85 minutos
  • Direção: John Carney
  • Roteiro: John Carney
  • Elenco: Glen Hansard, Markéta Inglová, Hugh Walsh, Geoff Minogue, Bill Hodnett, Danuse Ktrestova, Mal Whyte, Niall Cleary, Gerard Hendrick, Alastair Foley.
  • Sinopse: Dublin, Irlanda. Um músico de rua (Glen Hansard) irlandês encontra, por acaso, uma jovem mãe (Markéta Inglová) tcheca, vendedora ambulante, nascendo um forte relacionamento entre eles.

Comentários

Apenas Uma Vez Embora Apenas Uma Vez seja “oficialmente” classificado como um drama, vá à sessão (ou alugue o dvd) sabendo que verá um musical. Sim, é bom avisar logo – há gente que simplemente odeia o gênero. Eu gosto muito, e Apenas Uma Vez ajuda mesmo os não-apreciadores por ser daqueles musicais mais realistas – a história se desenvolve em torno da e graças à música, mas os protagonistas não “conversam cantando”, como sói acontecer.

As canções são pop e muito bonitas – tanto assim que levou o Oscar 2008 de Melhor Canção Original por Falling Slowly (composta pelo casal protagonista). Nenhuma surpresa. O que realmente me surpreende é que Apenas Uma Vez tenha ganhado o prêmio do público de melhor filme dramático no Festival de Sundance. Once é um bom filme, sim, mas não tem nada de original, não é nenhuma Pequena Miss Sunshine. Será que não havia nenhum filme independente mais interessante este ano? Ou o charme é filmar com uma câmera de mão e pronto, o prêmio está no papo? Deixe-me explicar minha bronca, antes que venham as pedras. Apenas Uma Vez é legal, mas se resume a uma colagem de alguns excelentes filmes: Rent[bb] (a boemia, as dificuldades financeiras), Letra e Música[bb] (o par romântico se junta graças à música e estabelece uma parceria em torno dela) e Antes do Amanhecer[bb] (o encontro inesperado e o forte laço criado rapidamente). Por melhor que a colagem fique, a pergunta que não quer calar é: para que fazer um filme que apenas repete outros?

As belas vozes do casal Glen Hansard e Markéta Inglová são, realmente, o melhor do filme. Os dois estão em perfeita sintonia e é um prazer ouvi-los cantar. Diga-se de passagem que é uma pena não haver mais espaço para Markéta – a voz da moça é belíssima, redonda, cheia, tocante. O solo ao piano, já próximo do fim do filme, é a cena mais emocionante.

Cotação: 3 estrelas

Curiosidades

O protagonista Glen Hansard é cantor, violonista e compositor. Integra a banda The Frames e lançou seu primeiro álbum, The Swell Season, em 2006, projeto no qual a multi-instrumentista, compositora e cantora Markéta Inglová também participou.

Glen e Markéta começaram a namorar durante as filmagens de Once que, aliás, duraram apenas 17 dias.

Serviço

Outros filmes citados:

5 thoughts on “Apenas Uma Vez

  1. po, eu tava mesmo procurando uma dica de filme… não tem nada muito legal passando no cinema, né? pelo menos as sinopses não me agradam! bjs

  2. Putz, que crítica fraca e desnecessária.
    ONCE é muito maior que o simples rótulo de musical que vc coloca nele. É uma produção independente sim (o que não desculpa eventuais falhas técnicas que acontecem), mas mostra com música em pano de fundo o relacionamento de duas pessoas que já foram machucadas, e da covardia e medo que sentem ao tentar dar sentido em suas vidas.
    Perdoe-me, mas sua simplificação deste filme só me leva acreditar que vc não o assistiu com a devida atenção, devia estar falando ao celular, conversando sobre outra coisa ou mesmo folheando uma revista enquanto esta obra era exibida.
    Prefiro ficar com esta crítica, muito mais profunda e contundente:
    http://www.alexmaron.com.br/2008/01/24/assim-que

  3. Eduardo, é claro que assisti ao filme com atenção. O fato de minha opinião não concordar com a sua não é razão para desmerecer qualquer das duas. Putz, um pouco de tolerância com opiniões divergentes, por favor.

    Que bom que o filme te tocou.

    Que pena que você acha que “o rótulo de musical” é menor. Eu gosto do gênero. Mas cada um com sua opinião.

  4. Concordo com Eduardo quando diz que o rótulo de musical é muito menor, os seus argumentos não são nem um pouco convincentes, as situações que você comparou a outros filmes são situações de vida e obviamnete existe em vários outros filmes, mas o que está em questão é a forma que o diretor usou para contar a história,o rumo que ela toma e a linguagem cinematográfica.

Comments are closed.