Fale com Ela

O amor é a coisa mais triste do mundo quando se acaba, dizia uma canção de Jobim.
(Marco, para Lydia)

Ficha técnica

Hable con Ella. Espanha, 2002. Drama. 116 minutos. Direção: Pedro Almodóvar. Com Javier Cámara, Darío Grandinetti, Rosario Flores, Leonor Watling, Geraldine Chaplin, Mariola Fuentes.
Uma tragédia em comum une dois homens desconhecidos até então, quando eles precisam cuidar de duas mulheres que estão em coma no hospital. Dirigido por Pedro Almodóvar (Tudo Sobre Minha Mãe) e com Geraldine Chaplin e Paz Vega no elenco. Vencedor do Oscar de Melhor Roteiro Original.

Mais informações: Adoro Cinema.

Comentários

3,5 estrelas

Sem dúvida, Fale com ela é muito mais interessante que Mulheres à beira de um ataque de nervos, comentado aqui no dia 12. Se Mulheres… puxava para a comédia do absurdo, Fale com ela volta-se decididamente para o drama. O filme conta uma história de amor triste do início ao fim, com poucas cenas de alívio para a platéia, nas quais se pode respirar mais levemente e até externar alguns sorrisos. O desfecho é arrasador, impondo uma situação em que é difícil afirmar o que é certo ou errado, moral ou imoral, bom ou mau.

Uma das cenas mais bonitas do filme, a tourada logo no início, tem como trilha sonora a belíssima Por toda a minha vida, na voz da Elis Regina. É uma das maiores declarações de amor compostas por Tom Jobim e Vinícius. Vale mencionar, ainda, a participação de Caetano Veloso, que aparece no filme interpretando Cucurrucucu Paloma, de Tomás Mendez Sosa. Para concluir esse comentário que mais parece sobre música e não cinema: a música do Tom Jobim citada por Marco (veja o comecinho deste texto) é O amor em paz.

14 thoughts on “Fale com Ela

  1. Lu
    se tiver um tempinho para assistir de novo ou lembrar a cena…
    além do Caetano cantado, aparecem as mulheres que fizeram os filmes anteriores do Almodóvar.
    Cena belíssima!

  2. Oi!
    Sobre o que vc disse no post anterior, sexta um amigo meu morreu num assalto. Eu ainda pretendo escrever sobre isso, mas estou refletindo sobre ainda.

    Por enquanto no meu blog mandei meus leitorews fazerem mais uma lista. Porque vc nao a faz tambem? 🙂

  3. Lu, você é uma das pessoas mais queridas. Gosto da sua autenticidade – pelo fato de você estar a frente e não ter lá tanto medo de demonstrar o que sente – e o que faz. Isso realmente é muito bacana – interessante – questionar é preciso sim, na minha opinião. Depois o que a gente pensa hoje, pode não ser o que pensamos amanhã. Realmente fiquei assustado com o que aconteceu comigo semana passada – apesar de ter passado – fico (creia) ainda relembrando o que aconteceu – como num filme chato, daqueles que a gente não esquece. Mas o tempo é muito amigo nessas horas. Gostei do que você escreveu. Realmente na vida nunca sabemos quando será a nossa hora. E antes que me chamem de pessimista, temos que viver sim o hoje e procurar a felicidade – mesmo utópica – mas as vezes momentânea.
    Um beijo, adorei o blog. Hj consegui abrir aqui no meu trabalho.
    Ricardo Fróes

  4. Falando de Almodovar, na minha opinião o melhor filme dele é “Tudo Sobre Minha Mãe”. Uma obra-prima mesmo. “Fale com Ela” é legal pois na minha opinião questiona a “fala”. Temos que falar sim. Guardar sentimentos, ressentimentos e afins nem sempre é o melhor remédio. Eu falo – e muito. “Mulheres à Beira…” é uma das minhas comédias preferidas – Sei os diálogos de cor – minha personagem preferida é a Candela – a que tenta pular da varanda – Almodovar é genial. Sugiro mais dois títulos do diretor: “Maus Hábitos” e “Lei do Desejo” – interessantíssimos. Na minha próxima coluna de cinema vou falar da sequência de Dogville – Manderley – não terá Nicole Kidman como Grace – mas falará de escravidão – mais uma crítica aos Estados Unidos.

    Um beijo,

    Ricardo Fróes
    http://www.revistafrade.com.br

  5. Apesar do jeitão do Almodovar, devo ter visto, dele, uns dois filmes. Pretendo me atualizar nessas férias…

  6. Ai ai Lu! O pior disso tudo é que o namorado é cinélifo e já deve conhecer isso tudo. Já eu não conheço Fale com ela, nem minta pra ela, nem namorada com ataque de nervos (ah sim, esse eu conheço bem). Acredita que final de semana passado nós vimos Star Wars? Estamos precisando nos atualizar nos filmes. Bisous

  7. já asssitiu Tudo sobre minha mãe? pra mim esse é o grande filme do Almodovar. beijocas, queridona

  8. Tenho que concordar com a Mônica…para mim o melhor filme do Almodóvar é o “Tudo sobre minha mãe…”.

    Mas gosto é gosto…Risos

    Beijocas

  9. Lista de filmes imperdíveis: São 20 dicas de filmes, que valem por um livro….

    1) O Fabuloso Destino de Amélie Poulain

    2) Ondas do Destino, do Lars Von Trier

    3) Dançando no Escuro

    4) Dogville

    5) Corra, Lola Corra

    6) A festa de Babette

    7) E sua mãe também

    8) Acossado, do Godard

    9) Os Incompreendidos, do Truffaut

    10) La Dolce Vita, do Fellini

    11) Belle du Jour

    12) Tudo Sobre Minha Mãe

    13) Maus Hábitos

    14) O quarto do filho

    15) Fale com ela

    16) A Lei do desejo

    17) Requien por um Sonho

    18) Jules e Jim, do Truffaut

    19) Closer

    20) Callas Forever

    21) Os Sonhadores

    Abraços,
    Ricardo, cinéfilo total

  10. Fica meio complicado comparar Mulheres a beira de um ataque de nervos com fale com ela, porque é possível perceber como Almodovar mudou sua forma de fazer cinema a partir de um determinado momento. O exotismo sempre prevalece, mas desde carne trêmula, seguido de tudo sobre minha mãe, fale com ela e o último má educação utilizam muito o drama e as relações humanas, bem diferente do início dele com mulheres, kika e outros. É um cineasta que vale a pena.

  11. Oi Lu!!!

    Mais um para a minha lista de alugáveis quando for possível…

    Detalhe que da lista do Ricardo eu só assisti 1… Acho que a minha parte cinéfila está mais falida do que eu pensava… rs

    Beijos

  12. Nunca é tarde para começar – brinco – que um bom filme às vezes vale tanto como uma sessão de terapia. Ontem assisti – e recomendo – “Janela da Frente” – em cartaz na Academia de Tênis – o filme é italiano, com ótimos atores e conflitos dignos de nos fazer pensar o que queremos e para onde estamos levando nossas vidas. O filme é lindo. Imperdível. romance, drama…

    Outro que ninguém pode deixar passar: “Adorável Júlia”.

    Assistam!

    Um abraço,
    Ricardo

  13. Vou ter que tentar achar esses filmes aqui pela Biblioteca, ja que a locadora perto da minha casa nao os tem!

    Chego ai na segunda a noite 😀

    Beijos

Comments are closed.