1984 aqui, agora. Não fale o que pensa!

É livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato.
É livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença.

(Direitos fundamentais inscritos nos incisos IV e IX do art. 5º
da Constituição Federal de 1988.)

Nos últimos anos, o empresariado tem lançado um olhar especial sobre os blogs. Não é por outro motivo que surgem ações como o Porto Cai na Rede, ou que a Natura tem um blog para dialogar com seus consumidores.

Empresários sabem que seus produtos e serviços estão na boca dos clientes e, agora, também estão nas pontas dos seus dedos. Uma hora ou outra, alguém vai comentar na internet  sobre algum estabelecimento comercial, como comentaria numa mesa de bar. É assim que as coisas são, ponto.

Claro que nem todo comentário será elogioso. Faça uma busca no google por qualquer empresa de telecomunicações e verá inúmeras críticas. Pesquise sobre sites de venda online e, normalmente, encontrará elogios e reclamações. Não é porque um site foi elogiado que você comprará lá indefectivelmente; nem deixará de comprar naquele que recebeu uma crítica. Você lerá atentamente, contextualizará as informações e decidirá sua compra usando a inteligência que lhe pertence.

Na verdade, reclamações que vão além do boca-a-boca sempre existiram. Pense nas sessões de cartas dos leitores publicadas por jornais e revistas. A internet não trouxe nada de novo. A única diferença é que, antes, você tinha sorte quando sua carta, em meio a centenas de outras, era escolhida e publicada. Hoje, você a transforma em post.

Só que tem muito empresário por aí que ainda não entendeu nada disso. Quando ele se depara com um texto desfavorável na internet, adivinhe o que ele faz? Intimida o blogueiro, ameaça e sai berrando aos quatro cantos “Meto-lhe um processo”.

Alguns exemplos:

Em fevereiro de 2007, tive uma má experiência com a Delix Hosting, fiz um post e fui ameaçada de processo.

Em maio de 2008, o Manoel Netto foi ao Rancho da Traíra, não gostou, fez um post e foi ameaçado de processo.

Em 12 de setembro deste ano, eu e uma amiga fomos destratadas pela sócia de um petshop, fiz post e estou sendo ameaçada de processo.*

Esta semana, o Raphael Quatrocci detestou o Boteco São Bento, fez um post e está sendo ameaçado de processo.

Percebe o que está acontecendo?

Querem que você acredite que você não tem mais direito a dar a sua opinião. Querem proibir que você diga o que pensa. Você não pode mais abrir a boca, ou o blog, a não ser para elogiar. Se quiser criticar alguém, será ameaçado de processo.

Isso é tão ruim quanto o projeto de lei de cybercrimes do Azeredo ou as regras infames para uso de internet em período eleitoral. Se não for pior, porque essas ameaças difusas podem vir de qualquer lugar, a qualquer tempo, rasgando a Constituição Federal. Elas geram um clima de autocensura, em que o blogueiro pensa dez mil vezes se pode reclamar da cafeteria que trouxe a bebida com um pedaço de unha dentro, porque, ora veja, ele pode sofrer um processo – ou, no mínimo, ser incomodado com ameaças. Você não pode simplesmente narrar uma experiência, se ela não for do agrado do empresário.

Arrisco-me a dizer que esse patrulhamento virtual é muito pior do que o regime de excessão durante a ditadura militar. Naquela época, você não podia expressar sua opinião sobre política. Hoje, não pode expressar sua opinião sobre nada de nada.

Talvez um dia o empresariado brasileiro amadureça a ponto de entender que críticas fazem parte do negócio e que o cliente (aquele que antigamente tinha sempre razão, lembra?) tem o direito fundamental de manifestar publicamente o que pensa. Talvez não entenda isso nunca.

Você, que tem blog, já foi ameaçado de processo por criticar o atendimento ou o produto de alguma emrpesa? Compartilhe sua experiência nos comentários.

* O nome da petshop foi suprimido em razão da tal ameaça de processo. Sim, eu sei, deveria tê-lo mantido, mas não quero me aborrecer ainda mais. Concretizando-se o processo, divulgarei todos os detalhes.

14 thoughts on “1984 aqui, agora. Não fale o que pensa!

  1. isso me faz pensar… será que o Submarino vai me processar, por conta daquele artigo que fiz falando mal deles? Apesar de que tem pelo menos uns 2 outros onde eu falo bem deles… será que eles fazem uma média? rs…

    Mas é fato que essas coisas demonstram cada vez mais o exemplo de democracia onde vivemos. Voto é obrigatório, falar mal é proibido. Não só da política, mas também da política, não me lembro nomes mas me recordo que uns 2 ou 3 blogs já foram fechados por denúncias contra políticos importantes, especialmente em Minas se a memória não falha.

    Políticos e empresários que não sabem usar a web, se valem de armas antigas e defasadas para impôr praticamente um estado de sítio à web.

    Mas reza a lenda que “a verdade sempre vence”…

  2. Oi Lu,
    O seu post é fantástico.
    Esse assunto precisa ser discutido até a exaustão.
    E um dos aspectos que nos deixa mais inseguros é ausencia de uma legislação que regule claramente a questão.
    Na falta de leis específicas, ficamos à mercê de juízes que, muitas vezes, sequer conhecem o universo virtual.
    Em tese, a Constituição Federal deveria ser respeitada, a cima de qualquer coisa. Portanto, nosso direito de expressão estaria assegurado pelos incisos do art. 5º citados por vc.
    Mas, na prática, não sabemos o que pode acontecer.
    Temos voz, temos direitos, mas não temos quem nos defenda.
    Então, façamos isso nós mesmos.
    Agora que podemos nos manifestar, independente dos interesses financeiros dos grandes veículos, não podemos nos calar.
    Grite!
    Não suprima o nome do petshop. Não se intimide.
    Se vc fizer isso… prometo que faço também.

    Bjnho

  3. Oi Luciana,tudo bem,poxa! a internet proporciona cada coisa né,estava eu vagando por esse mundinho virtual,e me deparei com o seu blog,e fiquei pensando como eu não conhecia isso antes,meu Deus ! rsrsr os assuntos que vc aborda são muito interessantes.

    Agora,tomara que nem um empresário,ou dirigente de clube de futebol e principalmente do Flamengo,observem o meu blog,se não tô ferrado,porque o que critico eles,não é brincadeira.

    Fiquei até pensando com meus botões,será que a internet é esse poço de democracia mesmo ??? ou daqui há um tempo vão começar a censurar? será que vão monopolizar as opiniões,como fazem na tv,rádio e jornal ?? será,será?

    Valeu Luciana,depois volto com mais calma e divirta-se em Porto de Galinhas.
    O meu endereço é esse ai:
    Quando tiver um tempinho e gostar de futebol,passa lá kkkk,tchau,tchau

    http://rodrigofutebolgarcia.blogspot.com(Futebol Sem Censura)

  4. Esqueci de falar uma coisa,a qualidade visual do seu blog é perfeita.

    Agora,uma perguntinha Luciana,Vc tem algum parentesco com a Débora Falabella ?
    Abs.

  5. Tenho um blog com o Benhê em que fazemos resenhas dos lugares que frequentamos. Falo nomes, preços, endereços e tal… Nunca tive problemas.
    Quando falei mal do Giraffas, os caras me procuraram pedindo desculpas e prometendo melhorar.
    Mas é um blog pequeno, sem muitas visitações, então não deve fazer diferença pro empresariado….
    Engraçado que existe o Dia do Consumidor: aquele dia que o cliente tem razão e que as empresas dão umas de boazinhas. Nesse dia poderemos falar mal?
    Só que, o que acontece no Brasil infelizmente é culpa nossa mesmo… Vejo muito blogueiro reclamando, mas poucos alertando seus leitores a lutar, a conhecer nossa constituição, a pensar politicamente (e não partidariamente somente)…. Se tá ruim, vamos lutar pra melhorar!
    Beijos

  6. antigamente as empresas ainda respondiam às cartas dos leitores se comprometendo a melhorar. algumas ainda fazem isso com as reclamações online… que coisa chata saber que vc está sendo ameaçada de processo!

    no entanto, vejo algumas reclamações sendo feitas de maneira errada. são ofensivas, muitas vezes, o que acaba dando margem a processos.

    um beijo e boa sorte!

  7. @Johnny, já critiquei o Submarino, a NET, a TIM… parece-me que essas empresas já aprenderam a lidar com a democracia. Ou, quem sabe, sejaquestão de sorte.

    @Maite, essa questão de ter suprimido o nome da petshop ainda me incomoda, mas foi um pedido feito pela sócia que, na época, ainda não tinha nos insultado. Depois vieram as ameaças… enfim. Por enquanto, deixo sem o nome.

    @Rodrigo, o visual é obra de um xará seu, o Rodrigo Ghedin, e do Thiago Nascimento. Os links deles estão no rodapé da página. E não, não tenho parentescom com a Débora Falabella.

    @Gabi, o “Cadê”, em que critiquei a sócia do petshop, também é bem pequeno. Você tem razão, reclamar é mais fácil que lutar. Não tirei o post do ar justamente pra fazer valer a liberdade de expressão, direito fundamental.

    @Raquel, é mesmo importante pesar as palavras, mas simplesmente falar mal de um estabelecimento não é causa de processo, não em países democráticos.

    Obrigada a todos pelos comentários. Acredito que temos de manter os olhos bem abertos se quisermos ter respeito como consumidores e liberdade como cidadãos.

  8. Belo post.

    Vou começar a blogar criticando os locais que visito…

    E podem me processar… Eles (os empresários) não sabem que prejudicam a si próprios fazendo isso…

    Boicote total as casos citados!

  9. É, Lu!

    Acho que muito blogueiro já passou por essa experiência super desagradável. Comigo não foi diferente. Foi com o site DiBoa, daqui de Brasília mesmo. Eles simplesmente sumiram com uma lista que eu tinha feito para minha festa de aniversário na Macadâmia e depois que eu entrei na Justiça, me ameaçaram por conta do meu blog. Até coisas graves mesmo, por conta do meu emprego.

    Infelizmente, dei pra trás e aceitei um acordinho fajuto. Mas devia mesmo era ter ido até o final no processo.

    Beijos e sucesso!!!

Comments are closed.