Receitas Juninas

O balão vai subindo, vem caindo a garoa
O céu é tão lindo, a noite é tão boa
São João, São João, acende a fogueira
do meu coração

Começou minha época favorita do ano: a das festas juninas.

Em Brasília, é tanta quermesse, festa de bairro e de clube que dá para encher uns dois meses, já que os festejos começam em maio e se estendem até julho (sim, festas julinas não faltam por aqui, com as mesmas características de suas primas mais famosas).

No Nordeste, o mês de junho é ainda mais animado. Em Recife, 24 de junho é feriado retumbante – até estabelecimentos que abrem no Natal fecham no dia de São João. O gasto de fogos de artifício supera o do Réveillon.

As festas em honra a São João, São Pedro e Santo Antônio perderam o significado religioso para boa parte dos seus apreciadores, mas continuam sendo um excelente pretexto para diversão em família e, claro, comidas típicas – para mim, a parte mais gostosa da coisa toda, literalmente.

O Dia de Folga não deixará o mês passar em branco: a partir de hoje, e pelas próximas sextas-feiras de junho, publicarei receitas típicas juninas na sessão Comes & Bebes. O cardápio já está montado:Comida junina é bom demais, sô!

Conforme for colocando no ar as receitas, atualizo a lista com os respectivos links.

Boas quadrilhas e guloseimas para você!

Imagem encontrada no Portal da Turma da Mônica.

Rabanada Light

O Cretino deu a idéia:

Lu,

Bota receita de peru ou de panetone, é época de NATAL !

Bem, peru, pra mim, é o da Sadia, temperado e com termômetro – mais prático, impossível. O panetone pareceu-me uma ótima idéia, e o Cretino até me mandou umas receitas de panetone salgado que quero fazer qualquer hora. Só que não vai ser nessa correria de fim de ano que vou me aventurar a testar uma receita um tanto complicada.

Continuei pensando a respeito. O que é “comida de Natal”?

De repente, a luz se fez: rabanada, claro! Amo de paixão, mas evito comer pelo exagero calórico e pela má qualidade da maior parte das vendidas por aí, pingando óleo.

E se existisse uma versão light dessa sobremesa natalina? Hmmmmm…

Pesquisei umas receitas, fiz alguns testes, mudei ingredientes… e cheguei a uma rabanada light que não fica devendo em sabor para a tradicional – até ganha de várias -, é fácil de fazer e bem menos calórica. Bom proveito!

Ingredientes

  • 6 pães franceses amanhecidos (300 gr.)
  • 1 lata de leite condensado desnatado
  • 1 xícara de leite desnatado
  • 2 ovos
  • Açúcar (ou adoçante culinário) e canela para polvilhar

Você também precisará de

  • frigideira antiaderente
  • espátula

Preparo

Rabanada Light Corte os pães em fatias de aproximadamente dois centímetros, desprezando os bicos.

Misture o leite condensado desnatado e o leite desnatado.

Bata os ovos.

Molhe bem cada fatia de pão na mistura de leite (afunde-a na tigela e retire imediatamente). Depois, passe-a pelo ovo batido. Em seguida, frite em frigideira antiaderente, tomando cuidado para não deixá-la quente demais a ponto de queimar o pão. Para fritar por igual, aperte a fatia com as costas da espátula, espere um pouquinho, vire-a e repita o procedimento.

Polvilhe com uma mistura de açúcar e canela. Se usar adoçante culinário, cuidado para não exagerar e deixar a rabanada com aquele gosto amargo de adoçante.

Dicas e Complementos

É fácil queimar o pão e, mesmo depois que você pegar o jeito, ainda acontecerá uma vez ou outra, quando a frigideira estiver muito quente, ou o pão ficar meio seco. Prepare mais fatias que as necessárias e descarte as que queimarem sem dó nem piedade.

  • Tempo de preparo: 1 hora, aproximadamente – vai depender do tamanho da sua frigideira: quanto mais fatias de pão conseguir fritar de uma vez, mais rápido o processo.
  • Grau de dificuldade: moderado
  • Rendimento: 20-25 rabanadas

Massa de Pizza

A categoria Receitas do Dia de Folga foi reformulada, o que me deixa bastante motivada para voltar a compartilhar minhas incursões gastronômicas. Para comemorar o retorno, uma deliciosa receita de massa de pizza descoberta e aperfeiçoada durante anos por meu pai.

Ingredientes

  • 1 quilo de farinha de trigo
  • Meio litro de água morna
  • 15 gramas de fermento biológico (Itaiquara ou Fleischmann)
  • Uma colher (sobremesa) de sal

Você também precisará de

Preparo

Colocar a farinha numa vasilha grande, reservando uns 100 gramas para abrir as massas.

Dissolver o sal e o fermento na água morna e misturar à farinha. Quando a mistura estiver homogênea, retirar da vasilha e amassar em uma bancada lisa por uns 15 minutos. Deixar repousando por uma hora.

Amassar mais cinco minutos, cortar em pedaços (de quatro a seis, dependendo da espessura desejada) e deixar repousar por mais uma hora.

Abrir a massa e colocar em forma redonda de aproximadamente 25 cm. de diâmetro, untada levemente com óleo ou azeite. Levar ao forno alto pré-aquecido e assar por aproximadamente 15 minutos.

Dicas e Complementos

Cada pedaço pode ser congelado sem abrir, desde que enrolado em saco plástico. Quando desejar, basta retirar do congelador e abrir a massa quando chegar à temperatura ambiente.

O rolo de abrir massa pode ser substituído por uma garrafa de vidro vazia.

  • Tempo de preparo: 3 horas, contando os tempos de descanso da massa.
  • Grau de dificuldade: trabalhoso
  • Rendimento: de 4 a 6 pizzas médias