Seu blog é acessível?

Acessibilidade na web significa uma internet verdadeiramente inclusiva
e com mais oportunidade de acesso de negócios para todos.

Muito se fala sobre acessibilidade na web – basta fazer uma rápida consulta ao todo-poderoso para ver a quantidade de páginas dedicadas ao assunto. A primeira vez que li com alguma atenção algo sobre o tema foi há cerca de apenas um mês, no blog do Bruno Torres. Semana passada, o Anny Rose lançou a Campanha Torne seu blog acessível para todos. Foi aí que parei para pensar realmente nessa questão.

O que é acessibilidade?

Acessibilidade é possibilitar a todas as pessoas condições adequadas de uso de produtos, serviços e espaços, independentemente de suas limitações.

15% da população brasileira têm algum tipo de deficiência física. É obrigação do Estado e da sociedade civil incluir esse contingente, propiciando-lhe condições equivalentes às do restante das pessoas.

No mundo físico, isso significa, entre outras coisas:

  • acréscimo de rampas de acesso em prédios e calçadas
  • adaptações em ônibus
  • elevadores espaçosos o suficiente para uma cadeira de rodas
  • banheiros adaptados com barras auxiliares
  • portas largas
  • programações televisivas legendadas ou complementadas por tradução simultânea para a linguagem de sinais
  • telefones públicos (orelhões) e caixas eletrônicos numa altura compatível com cadeirantes
  • pontos gratuitos de acesso à internet
  • calçadas largas
  • lugares para cadeiras de rodas em cinemas e teatros

A lista é extensa e os itens acima são meramente exemplificativos. Ainda falta muito para que todos tenham direitos iguais neste país, e isso passa pela implementação de métodos de acessibilidade.

O que é acessibilidade na web?

No mundo virtual, a acessibilidade é representada por sites que permitem a todas as pessoas a compreensão do seu conteúdo, independentemente das suas limitações físicas ou do equipamento que estão utilizando para navegar pela internet.

Uma pessoa cega, por exemplo, usa um software especial que lê para ela o conteúdo de um site (como o Jaws, cujo link para download encontra-se no fim deste artigo). O programa não é adivinho: para que funcione corretamente é necessário, por exemplo, que o idioma usado no site esteja especificado no seu código-fonte, e que todas as imagens da página tenham um texto descritivo.

Alguém que visita um site por meio de um pda, smartphone ou outro aparelho com tela reduzida deve ser capaz de navegar por ele confortavelmente. Isso também é acessibilidade.

Ainda é comum, no Brasil, o uso de conexão discada – portanto, lenta – para acessar a internet. Um site acessível é rápido o suficiente para superar essa limitação.

Há pessoas com limitações físicas ou de coordenação motora que impossibilitam o uso do mouse – a navegabilidade do site deve ser possível via teclado para incluir esse público.

Campanha “Torne seu blog acessível a todos”

Na verdade, o Anny centrou sua campanha em torno da acessibilidade para deficientes visuais, um ótimo ponto para começar.

Deficientes visuais têm dificuldades para inserir-se nos sistemas educacionais e, conseqüentemente, no mercado de trabalho. A internet torna-se uma ferramenta de grande valia para esse público, pela infinidade de informações que pode agregar. Além disso, para eles pode ser muito mais prático fazer compras e pagar contas sem sair de casa, usando serviços online – desde que os sites que fornecem estes serviços sejam acessíveis, é claro.

Ademais, sites acessíveis a deficientes visuais tendem a ser mais acessíveis a outros grupos de indivíduos e a pessoas que usam equipamentos com alguma limitação, como dispositivos móveis, em que não convém, por exemplo, exibir imagens.

A campanha, como o título indica, concentra-se em tornar os blogs mais acessíveis.

Como adaptar seu blog às necessidades dos deficientes visuais?

Que tal seguir as dez dicas abaixo e melhorar a acessibilidade do seu blog?

1. O idioma do blog está especificado?

No seu navegador, vá em Exibir/Código-fonte. Uma janela se abrirá, com o código do seu blog. Numa das primeiras linhas, deve haver a seguinte informação:

<meta http-equiv="Content-Language" content="pt-br" />

Sem isso, o programa de leitura não identificará automaticamente o idioma e tentará ler seu texto como se estivesse em inglês, dificultando a compreensão.

Se seu blog não contém essa informação, copie e cole a linha de código acima no cabeçalho (header) do seu blog, entre as tags <head> e </head>.

2. As imagens possuem descrição?

Desabilite o carregamento de imagens do seu navegador. No Firefox, vá em “Ferramentas”, depois “Opções”; clique em “Conteúdo” e desmarque a caixa “Carregar imagens automaticamente”. No Internet Explorer, o caminho é Ferramentas/Opções da Internet/Avançadas; depois, procure por “Mostrar imagens” e desmarque a caixa.

Recarregue seu blog.

As imagens que você usa no layout e para ilustrar seu texto contêm uma descrição? Essa descrição é suficientemente clara para dar uma idéia ao cego do que está ali?

Você usa imagens no menu? Quando as imagens estão desabilitadas, ainda é possível saber para onde cada opção conduz?

Acrescentar descrições a imagens é muito simples – basta usar o atributo “alt”. Na foto que ilustra a receita Bolo de Milho, por exemplo, a imagem é apresentada a partir de um código semelhante ao seguinte:


<img src="http://farm1.static.flickr.com/550m.jpg" class="alignleft" alt="Bolo de Milho - clique para ampliar" height="135" width="180" />

Note que não bastaria escrever “clique para ampliar” – é necessário dar uma idéia do conteúdo da imagem para que a experiência do deficiente visual seja minimamente satisfatória.

Menus e botões construídos com imagens são críticos: sem o atributo “alt”, tornam a navegação pelo blog impossível ao cego.

3. Seus links dizem para onde o visitante será encaminhado?

Essa é velha e vale para facilitar a vida de deficientes e não-deficientes: links do tipo clique aqui dificultam a acessibilidade.

Você deve informar ao leitor para onde ele irá ao clicar em um link. Escreva, por exemplo, “leia sobre a campanha pela acessibilidade nos blogs“, não simplesmente “clique aqui”. Complemente a informação usando o atributo “title”, que está para os links como o “alt” está para as imagens:

<a href="http://www.tvretro.net/2007/06/campanha-torne-seu-blog-acessvel-para.html" title="Torne seu blog acessível para todos - TV Retrô" target="_blank">leia sobre a campanha pela acessibilidade nos blogs</a>

Tenho por padrão usar o “title” para indicar o assunto principal do link e o local em que se encontra – o nome do blog ou do portal, por exemplo.

4. Você coloca informações em flash? Seu blog usa menus que dependem do mouse?

“Flash” é aquela animação “bonitinha” que traz informações irrelevantes – ou não.

Alguns sites o utilizam para criar introduções que ninguém vê. Outros colocam conteúdo realmente importante, textos inteiros de interesse para o visitante, ou botões essenciais para a navegação. Infelizmente, os cegos não têm acesso ao material colocado em flash.

Menus que mostram submenus somente com a passagem do mouse sobre eles também são fonte de dor de cabeça para os cegos, já que o programas de leitura ignorará os submenus.

5. Onde fica o conteúdo principal do seu site?

Os softwares de leitura lêem um site da esquerda para a direita, e de cima para baixo. Se você tem um blog cujo menu lateral está à esquerda, todo o conteúdo do menu será lido antes que se chegue ao artigo, que é o que realmente interessa ao visitante.

Se eu fosse cega, sairia do blog e procuraria por informação em outros sites, que dedicassem o lado esquerdo ao conteúdo principal.

6. Quantos “tabs” é necessário para se chegar ao conteúdo principal?

Cegos usam a tecla “tab” para pular de um campo a outro, ou de um link a outro, até encontrarem o que procuram.

Imagine um blog que traga dezenas de links antes do artigo – são dezenas de “tabs” antes de chegar ao que interessa. Lembre-se que, para saber se estão no lugar certo, os cegos têm que esperar que o programa de leitura diga-lhe o texto – não podem, simplesmente, dar 40 “tabs” um atrás do outro.

O Dia de Folga demanda 24 “tabs” antes que a leitura de um artigo tenha início. Esse número cai para 16 se o javascript for desabilitado, já que isso elimina as propagandas do AdSense.

7. O título do seu artigo é um link?

Se não for, o software de leitura o ignorará, procurando pelo próximo link da página. Seu visitante cego não será capaz de encontrar o início do texto.

Boas plataformas de blogs, como o WordPress, WordPress.com e Blogger/Blogspot transformam os títulos de artigos em links que, entre outros méritos, têm o de ajudar a localização do conteúdo pelo cego. Dê preferência a essas plataformas na hora de contruir seu blog.

8. Você usa captcha para evitar spams?

Captcha é uma imagem com letras disfarçadas, exibida no campo dos comentários; as letras devem ser digitadas pelo leitor que quiser comentar, para provar que ele é humano, não spammer.

Captcha torra a paciência de qualquer mortal. Alguns deles, para piorar, não oferecem uma descrição da imagem. Assim, impedem que os cegos comentem, igualando-os a spammers.

Verifique se o captcha em seu blog fornece uma descrição para a imagem. De qualquer forma, considere substitui-lo por uma pergunta de resposta fácil: “quanto é 2 + 3”, por exemplo. É um mecanismo menos irritante e tão eficaz quanto o captcha para afastar spammers. Existem alguns plugins para isso, se seu blog é movido a WordPress.

Se possível, instale plugins anti-spam como o Akismet, e poupe seu visitante dessa chatice de provar que é humano para deixar um comentário.

9. As cores do seu blog fornecem contraste adequado?

Não se deve pensar apenas nos cegos, mas também nos leitores com visão subnormal ou cegos para cores (daltônicos).

A cor das letras em seu blog é suficientemente contrastante com o fundo, ou confunde-se com ele? E o contraste entre o texto comum e os links, é adequado?

No site Colorblind Web Page Filter é possível realizar uma séries de testes para verificar se o esquema de cores do seu blog é acessível.

10. O tamanho da fonte do seu blog é ajustável?

Os navegadores fornecem uma ferramenta que permite aumentar o tamanho das letras de um site: confira no menu Exibir/Tamanho do texto. Veja se funciona no seu blog. Recomenda-se o uso das unidades “%” ou “em” para o melhor funcionamento desse recurso, utilíssimo para visitantes com visão subnormal.

Conclusão

Várias dicas deste texto foram retiradas do vídeo Acessibilidade web: custo ou benefício, essencial para quem se preocupa com a inclusão digital. A frase de abertura do artigo também foi retirada desse vídeo. Abaixo, você encontrará links de referência que fornecem informações importantes sobre acessibilidade.

Acessibilidade é um assunto extenso e que abrange uma vasta gama de técnicas em prol da integração de pessoas com diferentes tipos de dificuldades ou limitações.

No caso dos deficientes visuais, bastam pequenas mudanças de hábito dos blogueiros e umas poucas modificações no layout para que os blogs lhes sejam acessíveis. As dicas acima são todas simples, mas fundamentais para facilitar a vida desse grupo significativo de usuários. Várias delas facilitam a acessibilidade de modo geral, não apenas por deficientes visuais.

É fundamental que todos os sites, não só os blogs, procurem se adequar para atender a essa parcela da população. Como disse o Bruno Torres, acessibilidade não é altruísmo: quando sites de compras ou bancos adaptam seu conteúdo em prol dos deficientes visuais, seus lucros aumentam, já que eles também consomem produtos e serviços.

O Dia de Folga não é tão acessível quanto poderia mas, a partir de hoje, procurarei melhorá-lo cada vez mais neste aspecto.

Promova a adequação do seu blog para os padrões de acessibilidade, tanto quanto possível. Divulgue a campanha. Aprofunde-se no tema, espalhe a idéia, fale sobre as questões de acessibilidade com designers, desenvolvedores, arquiteto, engenheiros. Não se limite à web.

A conscientização é o primeiro passo para a acessibilidade.

Referências

23 thoughts on “Seu blog é acessível?

  1. Gostei muito deste post. Útil e didático. Espero em breve poder utilizar tuas dicas.

    um abraço.

  2. Antes de tudo: Sei que pelas palavras que usei, parece que só enfatizei os cegos, mas não, também são dicas que se estendem a pessoas portadoras de outras deficiências, irei atualizar o post, comunicando isso.

    Lu, parabéns pelo artigo, ficou muito bom. Gostei das dicas, muito boas. Olha, só quero de uma certa forma discordar da dica de número 5, pois é possível colocar um link no início da página para pular direto ao conteúdo. Criei um menu para meu blog todo baseado nesse conceito, com links para pular para as categorias, arquivos, blogroll, etc…

    Hoje publicarei um artigo com minhas dicas de acessibilidade, as quais estou aplicando ao meu blog. Inclusive ensinarei a criar o menu, que considero a mais importante.

    O que está sendo legal nessa campanha, é que todos estão dando dicas diferentes, assim formando uma grande teia de informações, sempre que alguém aderir a campanha, estarei atualizando o post e colocando o link, então fica de olho, sempre dá uma passada lá que surgirão novas dicas.

    Abraço.

    P.S: Sem querer, detectei um problemão no teu blog, te passei um e-mail contando.

  3. Lu,
    Excelentes dicas. Isto sim é que é uma campanha do bem. Só senti falta de algum banner para colocar no blog e explicitar a campanha. Vou lá no blog do Anny e ver o que pode ser feito…

    abraços

  4. Lu, muito, mas muito legal mesmo este post.
    A preocupação com a acessibilidade e a usabilidade é muito pequena ainda.
    Muita gente finge que não vê, já vi profissionais dizendo que dá trabalho … quanta burrice ! Afff
    Este foi o tema da minha monografia na pós, há muito brico com alguns colegas que ainda insistem por exemplo nos movimentos mirabolantes do flash, eu particularmente, deixei de abri-los, acho um saco, além de inacessivel !
    Parabéns pelo post !
    Beijos

  5. Muito útil esse post.
    Pena que ainda demorarei para implementar as mudanças: não sei sequer mexer no meu blog direito!!!! RIsos

    Mas o post está anotado aqui e assim que possível: façamos dos nossos blogs mais acessíveis.

    Parabens pela preocupação!

    Abraço.

  6. Lu, te plagiaram:
    [editado]
    Abraços.

    Obrigada pelo aviso, Anny, já estou tomando providências. Retirei o link do sujeito para não divulgar um blog-plágio.
    Abraço.

  7. LUUUUUU
    Voltei aqui porque lembrei deste artigo/página para indicar para os amigos de outra lista. Realmente, você é uma blogueira de mão cheia. Sei que sou suspeita, baba-ovo, o escambau, mas vou te contar que artigo bom!
    Parabéns, pequena.
    bj

  8. Olá Luciana!
    Gostei bastante do seu site, e principalmente do artigo sobre os Feeds! Me ajudou a entender sem “definições técnicas”!
    Esse artigo sobre tornar o blog acessível é ótimo!!! Adorei! Obrigada pelas dicas!
    Um beijo e sucesso!

  9. Lu, sou iniciante em blog e ainda pouco entendo das ferramentas disponíveis na internet, mas com certeza vou adaptar meu blog às necessidades dos deficientes visuais , principalmente porque pretendo me aprofundar e pesquisar sobre os desafios enfrentados pelos alunos da rede pública de ensino, que pouco ou quase nada pode oferecer a esses estudantes.

  10. São dicas realmente válidas e que devem ser seguidas não só por blogs mas sim pode toda a forma de exposição na web.

  11. Olá Lu, tudo bem?

    Pode por gentileza tirar uma dúvida? Os leitores usados pelos cegos conseguem ler o texto de um link através da propriedade alt ou da title?

    Obrigado!

Comments are closed.