Project 333, aqui vou eu!

Dentre os blogs minimalistas que acompanho, o Be More With Less é um dos meus favoritos. Conheci-o no início de 2011 e, como eu estava na primeira fase da edição do meu guarda-roupas, logo me chamou a atenção o Project 333. A ideia é simples: escolher 33 roupas (e acessórios) para usar em 3 meses. E mais nada. O objetivo é simplificar o guarda-roupas, reduzir o trabalho e o tempo gastos com a escolha do que vestir todos os dias e, ainda assim (ou justamente por causa disso), estar sempre arrumada. (Vale notar que roupa íntima e roupas necessárias para a prática de esportes – e usadas exclusivamente nessa situação – ficam de fora da contagem.)

O restante do guarda-roupas deve ser encaixotado. Depois dos 3 meses, você tem suas roupas de volta e pode doá-las, ou recolocá-las no armário, ou repetir o Projeto.

Simples, não? E assustador, também. Como assim, só 33 roupas? Aliás, como assim, só 33 roupas E acessórios somados?

Nunca tive coragem de embarcar nessa aventura. Até agora.

Semana passada, resolvi pagar os 15 dólares pelo cursinho da Courtney para iniciantes no Projeto 333. Fazer o curso não é obrigatório para seguir o projeto! É que eu estava curiosa, mesmo… e muito mais interessada no material de apoio do que propriamente em ficar com apenas 33 peças por 3 meses. “Vou fazer o cursinho, editar melhor o meu guarda-roupas, mas nem pensar que vou ficar com tão pouca roupa por 90 dias”, era o que eu pensava.

Acontece que o cursinho é empolgante – não tanto pelo “material didático”, mas pelo grupo (fechado) no facebook que reúne os participantes. E, diferentemente de mim, todo mundo ali estava realmente querendo seguir a proposta. Além do mais, eu estava mesmo precisando de uma distração… Com tudo isso, claro que no fim do primeiro dia eu já tinha mudado de ideia, né? A partir de 1º de outubro,  inicio meu primeiro ciclo em mais esse projeto minimalista.

O trabalho duro já começou: precisei retirar tudo do armário e das gavetas, colocar em cima da cama e separar as roupas em 3 pilhas: “AMO” (roupas que quero manter), “TALVEZ” (talvez eu goste dessas, talvez não; talvez as guarde só porque alguém especial me deu; talvez eu pense nisso semana que vem) e “DESCARTAR” (roupas que não me servem, ou eu nunca uso, ou não gosto, ou estão velhas, ou estão sujas etc.).

Tudo em cima da cama.
Tudo em cima da cama.

Há quase dois anos, todo mês tiro algumas roupa do meu armário, então foi uma surpresa encontrar 15 peças que se encaixavam perfeitamente na categoria “DESCARTAR”. Sem dúvida, ver tudo em cima da cama de uma só vez deu a real dimensão do que eu realmente gosto e do que só está ocupando espaço.

Ainda não escolhi as 33 roupas (essa é uma tarefa para a semana que vem), mas já tenho uma ideia de quais serão meus critérios. Decidi que não vou incluir bijouterias, chapéus (sim, tenho alguns) e cintos nessa seleção. Se o fizesse, acabaria me sentindo sufocada e, como a Courtney diz, o objetivo do Projeto 333 não é causar sofrimento – se for necessário, podemos editar as regras segundo a nossa conveniência. Bem, vou editá-las: farei um Projeto 333 só para os acessórios. Porque, afinal, eu tenho vários, mas uso sempre os mesmos. Quem sabe limitando a quantidade a ponto de ver tudo num relance eu consiga diversificar?

Outra coisa que deixei de fora: os sapatos. Tenho 25 pares, contando aí botas (que não são usáveis nessa época em Brasília), chinelo e tênis de corrida. Uso com razoável frequência todos eles, até porque meus pés são implicantes e, se eu não revezar os calçados, acabo cheia de bolhas.

Como você vê, flexibilizei bastante as regras. Mesmo assim, ter apenas 33 roupas à minha disposição por 3 meses inteiros (considerando que, hoje, meu armário tem 174 itens) é um tanto assustador. Mas também é um desafio empolgante, não é?

O que você acha? Embarcaria no Projeto 333? Tem curiosidade? Ou parece uma missão impossível?

8 thoughts on “Project 333, aqui vou eu!

  1. Lu parabéns pelo seu blog muito interessante, esse projeto acredito que seja possível sim, pois ficaria bem mais fácil, eu como homem acredito que me vira com umas 25 peças, já para a mulher pode ser uma tarefa impossível!

  2. Lu, já aderi ao projeto, mas somente suportei por 45 dias, tendo em vista que coincidiu com outra situação e deixou de ser fundamental.

    Penso que o importante é viver com o que temos e não nos limitarmos ainda mais. No meu caso, estou no segundo ano sem compras de desnecessários e supérfluos, além do destralhe constante, logo, não quis ceder mais ainda.

    Apesar de tudo, estou pensando em voltar para o projeto, mas apenas no que se refere às roupas de trabalho… vamos pensando!!!

    Beijos

  3. Lu, eu acho que vivo num projeto 333. Sério! Eu uso bem poucas peças de roupa mesmo! Tenho mais do que 33 peças, claro, mas sempre me pego usando um número reduzido delas (que são as que eu amo de paixão). Acho que se incluísse os sapatos eu continuaria dentro das 33 peças numa boa. Agora, se fosse para incluir os acessórios eu passaria de 33, pois é com eles que eu realmente conto para variar os looks (ai, que brega, looks..). Uso muito colares, lenços, broches, brincos, etc. e assim consigo ter visuais diversificados. O mesmo vestido com um lenço diferente como cinto ou no percoço cria visuais completamente diferentes! Um beijo e boa sorte!

  4. @Saulo, obrigada pelo elogio. Para homens é mesmo bem mais fácil manter um guarda-roupas pequeno, vocês não são tão impactados/visados pela moda como nós, mulheres, e geralmente têm um estilo bem definido. Mas não é impossível pra mulheres, não! É só mais difícil. 🙂

    @Ziula, tenho tentado ver o Projeto 333 como um aprendizado, não como uma limitação – é a mesma filosofia que aplico ao meu ano sem compras. Flexibilizei algumas regras para que a coisa não ficasse penosa, ou eu não daria conta. Espero levar até o fim… mas ainda tenho dúvidas se conseguirei, especialmente por gostar de cores.

    @Marina, também uso sempre as mesmas peças. A bem da verdade, nem os acessórios eu vario tanto quanto poderia. Quero ver se consigo deixar de fora do Projeto 333 essas peças que uso sempre para me forçar a variar.

    @Lud, acho que você não teria problemas, você tem uma forte veia minimalista!

    Gente, quando mais se aproxima a data de início do projeto, mais tensa eu fico. 😛

Comments are closed.