Ó, Minas Gerais…

Então, sô. Criei coragem e encarei 11 horas de ônibus para Belo Horizonte, a fim de participar do primeiro BlogCamp MG. Se valeu a pena? Ô! Embora haja quem diga que estamos todos caminhando para uma latrina mambembe, são esses encontros que fortalecem a blogosfera e contribuem para o seu crescimento como mídia.

Minhas impressões do evento estão no BlogCamp Brasil: Anotações sobre o BlogCamp MG. As fotos (minhas e de um monte de gente) estão no Flickr.

Como nem tudo se resumiu à desconferência, lá vão algumas observações aleatórias e absolutamente casuísticas.

A viagem

Se não fosse o tempo perdido na estrada e o cansaço que decorre das longas horas, viajar de ônibus seria minha opção preferencial, sempre. Poltronas largas (se comparadas às de um 737) e bastante reclináveis, apoio para as pernas, manta e travesseiro. Só se assemelha às empresas aéreas no lanche: barrinha de cereal, saquinho de amendoim e umas balas vagabundas.

Dica de viagem de uma amiga: escolha a poltrona 23. A chance de viajar sem ninguém ao lado é de 50%. Funcionou comigo.

O hotel

Sem a menor referência sobre Beagá, consultei São Google em busca de um abrigo. Encontrei uma relação de hotéis em Belo Horizonte. Escolhi a hospedagem pelo menor preço, claro.

E quebrei a cara, claro.

O tal hotel era, teoricamente, bem localizado e primava pela higiene e conforto. Na prática, situava-se na frente do baixo meretrício da cidade, o banheiro era revestido com pastilhas do tempo do guaraná de rolha que, de tão velhas, estavam encardidas e a cama só deu para o gasto porque eu chegava tão cansada que desmaiava. O café-da-manhã era esquecível.

Ao menos, não entrei sozinha nessa fria. Indiquei o hotel ao Fugita, que espalhou a informação. Helder, Bruno Dulcetti, Thiago Mobilon e Mirian Bottan foram vítimas. Espero que não se unam numa vingança blogosférica – eu não tive culpa!

A volta da Pampulha

O Fugita tinha perguntado o que eu pretendia fazer na sexta-feira. Minha idéia era conhecer o complexo da Pampulha: lagoa, igreja de São Francisco de Assis, estádios, zoológico, parque ecológico… Fugita e Helder toparam, pegamos o ônibus e começamos o passeio.

Só não sabíamos que o percurso da lagoa tem 18 (é, DEZOITO, não oito) quilômetros. Não, ninguém se lembrou (a tempo) que é por lá que acontece a volta da Pampulha, corrida famosa de Beagá.

Poderíamos ter dado meia-volta e nos contentado com um passeio curto, mas nãããão! Num surto de insanidade coletiva, resolvemos andar os 18 quilômetros.

Lá pelas tantas, juntou-se a nós Rafael Silva (vulgo RafaCast), que deveria estar cheio de gás, mas foi o único a desistir no meio do caminho.

O pior não foi fazer a caminhada. Nem foi almoçar às 5 da tarde. Nem foi ficar meio morta de tanto cansaço. O pior mesmo foi ter torrado até ficar roxa, cheia de dor e com febre. Cada abraço, no dia seguinte, provocava uma lamentação. Haja analgésico pra suportar.

Chegamos!Ao menos, demonstramos que blogueiros geek são capazes de praticar exercícios…

Os intervalos

A melhor parte dos BlogCamps. Não que as desconferências não sejam boas. Elas são como pizza: até quando são ruins, valem a pena. Acontece que são os intervalos que propiciam a interação, o contato, o tal networking. Não faltou tempo para isso nos lanches, almoços e botecos.

Pude rever gente legal e sobrou tempo pra bater papo: Ian Black, Conrado Navarro, Norberto Kawakami, além da Mirian, do Mobilon, do Fugita e do Helder.

Conheci mais gente pessoalmente: Rafael Arcanjo, Ronaldo, Maysa, João Nababu, Guilherme Valadares, Pedro Villa Lobos, Marcellus, Rafael Apocalypse, Bressane, Esparroman (há!, lembrei quem você é!) e ainda o Dulcetti e o RafaCast (e mais gente que, certamente, estou esquecendo).

De quebra, ainda falei com a Nospheratt, direto do Uruguai, via Skype. 🙂

O próximo evento

BlogBar BrasíliaOs blogueiros já se agitam para o BlogCamp PR, em primeiro de dezembro. Como dinheiro não dá em árvore (nem no Dia de Folga), vou ficar de fora dessa.

Em compensação, estamos preparando o primeiro BlogBar Brasília, no dia 30 de novembro. Blogueiros do quadradinho do Cerrado, uni-vos!

31 thoughts on “Ó, Minas Gerais…

  1. E eu fiquei aqui na vontade de ir. BlogCamp SP, vc foi e eu não, depois veio o BarCamp Rio eu fui e a senhorita não foi. Pra terminar, não fui no Blogcamp MG e vc foi, agora vem o Blogcamp Curitiba e a senhorita também não vai e eu vou. Quando vamos nos encontrar hein ? 😛

  2. falae lu… sucesso… tirando o hotel mesmo, de resto, foi relax… fora as horas mal dormidas, tanto no hotel, quanto no ônibus…

    o evento foi sucesso e graças a deus eu naum cheguei a tempo dessa volta na pampulha =P

    grande abraço e até a próxima…

  3. Ainda não acredito que vocês deram a volta inteira na lagoa…

    Foi um prazer te conhecer e fazer as “honras da casa” em Minas, mesmo que você (e o resto dos “volteiros da Pampulha”) não saibam/lembrem meu nome :D.

  4. LuMonte,

    Legal seu post, ficou ótimo! Apesar do povo não acreditar minhas bolhas nos pés provam que foi verdade.

    Quanto ao Esparroman, realmente eu não faço idéia de quem seja apesar de ter visto esse apelido por vários lugares. Devo ter conversado com ele em Beagá…

    Já a Fabiana Rockerspace… apesar de saber que vc foi nesses dois lugares – e eu também – não a conheci. Vc aparece escondida? hehehe! Tô quase indo pra Curitiba. Um pé já está lá!

    Finalizando, Lu, fica tranqüila que por causa do hotel estou organizando um ataque DDoS ao Dia de Folga. Ah, e larga esse tecladinho e seu N70 por uns segundos! Nunca vi alguém mais geek assim que eu!

    Abraços!

  5. É brincadeira… Você recepciona o cara na chegada ao evento, vai pro buteco, bate altos papos, fica “babazando” enquanto ele e outros perdidos estão em BH e ele não lembra quem você é…

    Brincadeira, Fugita! Eu estava com vocês no Patio. Mas sem nomes, hein.

  6. Ah!!! Catei umas fotos suas e coloquei no meu blog!
    Foram algumas das poucas que achei com minha cara estampada! 🙂

  7. Menina, o que era um “encontro com um conhecido blogueiro”, virou um evento!!!! que loucura, preciso mandar o vestido para a lavanderia. Afinal na lista de confirmações que vi só tem eu e você de luluzinha…rs.

  8. Oi Lu.
    Esse blogcamp Mg foi tudo de bom. Pena que acaba logo e que dinheiro não dê em árvore, pois que dá vontade de ficar participando de todos os camps, ah!, isso dá…
    Acho que vocês merecem uma medalha por terem dado a volta na Lagoa da Pampulha. Creio que poucos belorizontinos tenham feito essa proeza.

    abraço

  9. Ei Lu, tudo jóia? Adorei seu post sobre o Blogcamp. A volta da pampulha foi “O ASSUNTO”. O Fugita de chinelão e você literalmente “frita” de sol são provas mais que suficientes e que comprovam a façanha.

    Foi ótimo poder conversar um pouco mais com você e com todos os colegas de profissão (vulgo blogueiro). Adorei! Desejo a todos muito sucesso e aguardo ansioso pelo Barcamp Curitiba. Tudo de bom. Abraços.

    PS: Esparroman também não se chama Rafael? Humm…

  10. Pô! Vc foi no de SP e no de BH, mas não vem no de Curitiba! Justamente no que eu vou? rs rs rs

  11. Fabiana e Jonny, ano que vem a gente soluciona esses desencontros – tenho a firma esperança de que esses BlogCamps não sejam apenas um hype de 2007. 🙂

    Bruno Dulcetti, você foi um sortudo!

    Esparroman, você se manteve quase anônimo de propósito, confessa!

    Fugita, com desktop em casa e no trabalho, o tecladinho voltou ao ostracismo da gaveta geek.

    Armando, BlogCamp novamente, só ano que vem…

    Bia, o encontro é com vários blogueiros e mulheres são sempre minoria nessas reuniões.

    Norberto, poucos belorizontinos são insanos.

    Navarro, também adorei essa interação e espero participar do BlogCamp PR, mesmo à distância. E identidade do Esparroman é secreta, hehehe.

    Helder, também estou no estágio da troca de pele…

  12. O nome do Sparroman é Rafael também. Aliás, tinham 5 rafaeis no recinto, pode ?

    E eu estou pensando em ir pra Curitiba. Porém, tenho que ver como ficaria com relação a R$ né… E agenda também.

    Tomara que dê certo, porque gostei muito do modelo do evento.

    Abraços lu

  13. Eu que moro em BH nunca rodei a pampulha a pé! parabéns!!! Muito bom conhecer mesmo que de relance todos vocês no Blogcamp!

  14. Cryatura, você ficou no Hotel Financial, por acaso? Que fazem essas pessoas que nâo procuram logo um Íbis ou um Formule One?

    E olha, essas da volta da Pampulha teria me arrancado risos, não fosse a dor que minhalma sente de ver uma companheira literalmente cozida pelo sol. Eu sei bem o que é isso e é lamentável. Melhoras.

    Btw, as fotos ficaram bem legais. Eu não fazia idéia de que o entorno da Pampulha estava tão bem cuidado. A última vez que estive por lá, estava um lixo.

    Beijos

  15. Arcanjo, 5 Rafaéis?! Minha contagem parou em 4 (o que já é muito). Incrível que não tivesse nenhuma Luciana, nome tão comum.

    MarcosVP, o nome do hotel é Ambassy. A diária era quase metade da do Íbis, fui fisgada pelo bolso. Quando dei o endereço ao taxista, ele só conseguiu falar “Ih, nossa…” e não deu mais informações, mesmo quando insisti.

    O complexo está realmente bonito, exceto no trecho próximo ao aeroporto (sorte que fotografias não transmitem cheiro).

  16. Menina, por que vc não perguntou antes de vir? Pelo menos poderia lhe poupar o desgosto do hotel!!! Eu moro em BH desde que eu nasci!!!

  17. Lu, fica traqüila que a culpa do hotel não foi sua não. O Rafa (Castro) parece ter um ímã que atrai para ele as promoções mais imperdíveis das piores espeluncas do mundo.

    Ano passado, quando eu e ele fomos a Sampa, acho que não poderíamos ter ficado em um lugar pior. Até a porta do banheiro não fechava. Mas pelo menos deu para dormir.

Comments are closed.