Se minha gata fosse gente…

Texto inspirado na pergunta da Juliana, do Diário de Dois Gatos.

Se a Cacau fosse gente, seria especialista nos pecados da gula e da preguiça. Pela intersecção deles, inevitavelmente seria gorda. Fast food seria sua preferência – aliás, se não existissem comidas prontas, delivery e outras maravilhas da vida moderna, a Cacau morreria de fome. Exercícios? Até faria, mas apenas por puro prazer, com o foco na diversão e não no emagrecimento. Um banho de mar num dia quente, uma caminhada por um parque bonito, uma partida de vôlei com os amigos. Tudo sem compromisso.

Cochilo da Tarde
Banho de sol, um dos prazeres simples da Cacau.

Aliás, a vida da Cacau seria assim, sem compromisso. Seria profissional liberal e trabalharia o suficiente para pagar as contas e os seus pequenos prazeres – se fizesse dinheiro suficiente na primeira quinzena do mês, a segunda seria dedicada ao ócio, no melhor espírito baiano.

Teria hábitos simples. Além de comer e dormir, seus grandes prazeres seriam conhecer novas pessoas e rever velhos amigos. Seria atenciosa, carinhosa, até grudenta. Ficaria conhecida pelo constante bom humor e pela habilidade de fazer todos à volta sorrirem, esquecendo-se dos próprios problemas. Teria um milhão de amigos nas redes sociais e outro milhão no dia-a-dia real.

Se o seu gato fosse gente, como ele seria?

10 thoughts on “Se minha gata fosse gente…

  1. Até parece o gatinho que peguei doente na rua e trouxe pra casa. Depois que ficou bom, viveu desta maneira. Cresceu e ficou adulto até que ouviu o chamado da rua, foi embora, e nunca mais voltou.

    Lembro dele com saudades!

  2. @Roberto, por isso a recomendação é sempre telar a casa. Gatos normalmente não encontram o caminho de volta e têm vida muito curta (e dura) na rua. Lamento pelo seu.

  3. Lu, infelizmente não foi possível fazer isso naquela época. Eu já sabia disso, mas, ao ver o gatinho quase morto, miando fraco e depois vi que seu ânus estava sangrando, escolhi trazer pra casa e cuidar.

    Já sabia que um dia ele iria conseguir dar um jeito de escalar quase 3 metros e acessar a rua, sabia que minha casa não era o lugar ideal, mas precisava fazer algo pelo gatinho.

    Ele foi tratado, se recuperou, e cresceu forte e sadio, mas infelizmente ninguém quis adotá-lo. Eu não consegui encontrar alguém que julguei responsável para adotá-lo antes dele ir embora.

    Não tinha condições, por isso nunca tive gatos antes e nem depois do Muguinho. Esse era o nome dele!

    Não foi um exemplo de posse responsável, mas pelo menos dei uma sobrevida ao bichano.

    Sinto por ele. Tomara que tenha achado um lar!

  4. que legal vc também acompanha a vida de Manjar e Mingau!!!
    e também conhece a SOS GATINHOS DE RUA… Se meu gato fosse gente ele seria aquela criança que nunca para de pular e correr.

  5. Se a minha gata fosse gente ela seria uma eterna criança, e das mais bagunceiras.

Comments are closed.