Reitor da UnB pede afastamento

Educação É Progresso O reitor da Universidade de Brasília, Timothy Mulholland, pediu afastamento do cargo hoje, por 60 dias. Já se vão dois meses desde as primeiras denúncias contra Mulholland, que envolviam o uso de verbas da Finatec (Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos) para mobiliar luxuosamente o apartamento funcional que ocupa.

Acampamento O que pesou na decisão do reitor foi, sem dúvida, a ocupação do prédio da reitoria pelos estudantes há uma semana. O protesto estudantil deu visibilidade nacional a um caso que ameaçava juntar-se a outros tantos desmandos nunca apurados.

A ocupação teve início na quinta-feira passada. Desde segunda-feira, estendeu-se para todos os andares do prédio, apesar da resistência dos seguranças e do corte de água e luz (já restabelecidas). As atividades administrativas da reitoria foram suspensas e o prédio de concreto foi transformado em um ambiente de protesto agitado e colorido.

O afastamento de Mulholland na manhã de hoje, 10 de abril, deu novo gás aos manifestantes para que continuem pedindo a renúncia do reitor. Até lá, os estudantes dizem que tudo fica como está – a ocupação continua, mais forte que nunca.

Cadê o orçamento? Até porque não seria mesmo possível contentar-se com o novo estado de coisas: com Mulholland afastado, assume o vice-reitor, Edgar Mamiya, contra o qual também pairam denúncias de mau uso dos recursos da Finatec e da Funsaúde (Fundação de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico na Área da Saúde). Sua renúncia, e a dos decanos da universidade, também têm sido pedidas pelo movimento de ocupação.

Como ex-aluna da UnB, estou muito orgulhosa da manifestação estudantil. Sim, eu a achava improvável. Que bom que estava enganada, que bom que os estudantes estão se fazendo ouvir em âmbito nacional, que bom que mesmo a decisão judicial de reintegração de posse não foi capaz de abalá-los, que bom que resistiram aos seguranças, à manifestação de apoio ao reitor (que contou com poucas dezenas de servidores), ao corte de água e de luz, às condições precárias das “acomodações”.

A praça de alimentação montada pelo C.A. de Agronomia A ocupação prossegue pacífica e bem-humorada. Cartazes provocativos decoram a reitoria. Barracas de acampamento foram armadas. O Centro Acadêmico de Agronomia (tradicionalmente, um dos mais divertidos da Universidade) improvisou um quiosque com comida e refrigerante. Músicas conhecidas são cantadas com letras adaptadas para refletir as motivações da ocupação. Aulas de ioga fazem parte do cronograma, para revitalizar os manifestantes.

Pauta de reivindicações Com tanta disposição, organização e bom-humor, dá pra acreditar que a ocupação pode durar o tempo que for necessário para alcançar seus propósitos. Aliás, a pauta não se restringe à renúncia dos chefões da Universidade: entre as reivindicações, estão as eleições paritárias e a abertura de concurso público para professores.

Enquanto isso, o Ministério Público impetrou ação de improbidade administrativa contra o reitor que, hipocritamente, diz-se “aliviado”, já que poderá “conhecer as acusações” e se defender. É isso aí, Vossa Excelência. Sustente a infâmia, a corrupção e a indignidade até quando lhe for possível. A lei lhe garante esse direito.

As fotos e o vídeo foram feitos por mim. Há outras imagens no meu Flickr.
Você pode usar, mas cite a autoria.

12 thoughts on “Reitor da UnB pede afastamento

  1. Parabéns, este Blog foi pioneiro ao noticiar e criticar o Reitor da UNB, mais uma vez comprovando a agilidade da mídia digital em relação aos demais órgãos de imprensa. Vida longa e próspera!!

  2. Muito bom. Que o movimento continue…

    Ontem por lá, chegou uma galera de SP pra dar apoio. É impressionante também observar que existem alunos que argumentam a velha e idiota idéia do “isso não me afeta…”

    A notícia de que o vice-reitor também está fora não é verdadeira então? Vou tentar me informar hoje a noite por lá…

    Valeu pela postagem ´pioneira´ no blog como já dito…

  3. Muito bem, Lu… quase uma jornalista, hein?
    Excelente post, vai servir de indicação e forte referência que vou passar para um amigo que desconhece o assunto e queria saber mais detalhes!

    =]

  4. Queria comentar sobre o que escrevera Na Revista Feed-se

    MAs não vi post devido

    Venho falar aqui mesmo:

    GOstei Muito do que você escreveu por lá, eu vou seguir as tuas revrinhas, creio que elas sejam bastante importantes…

    Abraço e Sucesso !!

  5. Ótimo texto, Lu. :]
    Quem dera que todas as denúncias de corrupção tivessem uma resposta dessas.
    Mas acho que não está tão pacífica assim a manifestação não, cara. Acho que houve um descontrole, tanto que teve um garoto que acabou sendo ferido [acho que pisoteado].

    Beijo!

  6. [Correções…]
    Foi mal, me precipitei no post acima.
    Os atos de violência foram praticados contra os estudantes, e não por eles. Da parte deles, a manifestação é pacífica sim…
    =]

  7. acabei não comentando na outra matéria (http://diadefolga.com/reitor-de-universidade-tem-alta-visibilidade-e/) porque fiquei meio perdido… é foda quando você conhece os dois lados da moeda. Tenho um tio que trabalha na UnB, não me recordo agora exatamente em que parte/com o que, mas sei tratar-se de tecnologia e não ser “pouca coisa” – mas conversando com ele dá pra entender muita coisa… e lendo os seus artigos dá pra entender outras tantas.

    e esse caso em específico tem me feito entender cada vez mais uma frase que eu conheci faz uns anos… “a verdade é uma faca de três gumes: a minha, a sua e a deles.”

    beijos Lu! precisamos marcar uma choppada no Stadt! =D

  8. Rodrigo, é isso aí!

    Roan, obrigada! Vida longa e próspera! 🙂

    Fabio, e agora o ex-reitor fala que saiu em nome da “pacificação da universidade”. Pois sim.

    Rap, ele realmente continuava como vice-reitor (e reitor interino), mas não durou muito, felizmente.

    Pablo Emílio, valeu pelo link do blog. Tinha visto no blog do Dudu Tomaselli e gostei da iniciativa dos universitários.

    Natanael, antes tarde do que nunca… mas, se não fosse pela manifestação dos estudantes, o ex-reitor estaria calmo e tranqüilo até agora, no cargo. A falta de vergonha na cara impera.

    Ricardo Avelino, o artigo sobre a Feed-se saiu atrasado por aqui… que bom que gostou do texto!

    Claudia, pois é, os seguranças da UnB passaram da conta quando os estudantes decidiram tomar o prédio todo. Depois do atrito inicial, passaram a conviver com os alunos sem incidentes.

    Johnny C, não fossem os desmandos da alta cúpula, haveria mais recursos para a tecnologia e outras tantas áreas.

Comments are closed.