Lembra?

Você se lembra? Existiu um tempo em que tudo era simples.

Quando você caía, sempre havia um adulto amoroso por perto. O carinho acalmava o choro e o mercúrio-cromo curava o esfolado. Hoje, você ainda cai e chora, só que não há mais colo e as feridas não cicatrizam.

Você se lembra? Antigamente, partilhava os brinquedos por duas horas com o vizinho e ele se tornava seu melhor amigo. Hoje, partilha anos de convivência antes de atribuir a alguém esse título; às vezes, nem assim.

Lembra quando contava os seus segredos para a coleguinha da escola? Você foi aprendendo, à custa de muitas decepções, que as pessoas não são confiáveis. Descobriu que elas exploram as suas fraquezas e traem os seus segredos. Dissimulam. Trapaceiam. Mentem.

Você também descobriu que ninguém gosta dos fracos. E isso lhe deu força. Descobriu que os outros se aproveitam de quem fala o que sente. Isso incentivou-lhe a frieza.

Lembra quando você corria para o telefone e desabafava com uma amiga querida? Hoje, você pega o telefone e não disca, porque sabe que ela também tem problemas e não quer aborrecê-la com os seus. Ou, simplesmente, porque as crianças estão dormindo e o barulho da ligação as acordaria.

Lembra quando chorava no primeiro ombro que se oferecia? Hoje, é difícil chorar até quando ninguém está vendo.

Lembra que costumava achar que as suas aflições eram as maiores do mundo? Hoje, você racionaliza: tem família, amigos, casa, emprego, dinheiro. Seus dramas são tão insignificantes. Na verdade, são mesmo inexistentes. Tudo não passa de bobagem. Você só quer chamar a atenção.

Você se lembra de quando não se sentia tão só no mundo?

24 thoughts on “Lembra?

  1. Esse foi seu melhor post.
    Esse tocou fundo, com lucidez.
    Esse foi de lascar 8-|. rss
    Para mim é tudo isso mesmo que você escreveu.

  2. Namorado… to achando que a Lu precisa mesmo é de um namorado!!

    Namorados servem pra:
    Chorar no ombro
    Escutar seus problemas e ajudar a solucionalos
    Namorado serve pra outras coisas também, é multi-uso!

    Namorado é eu, que estou a procura de uma no perfil! hehehe

    beijos Lu!

  3. Lu, teu texto tocou bem fundo em mim, imaginei cada época aqui descrita, das quedas infantis às grandes quedas de hoje em dia…
    E isto aqui é bem verdade: “Hoje, é difícil chorar até quando ninguém está vendo”.

    bjo!!

  4. Lu, esse seu texto foi de uma profundidade e uma sensibilidade ímpares! Há muito tempo não leio algo tão verdadeiro e tão simples ao mesmo tempo. E concordo que independe de estar namorando ou não, tem mais a ver com a “evolução” da nossa sociedade.

  5. É Lu, hoje em dia parece que as pessoas se esqueceram do que é solidariedade, do que é amizade, do que é ser feliz!
    Beijo Menina, seu texto ficou lindo

  6. Linda, achei o texto nostálgico. Uma saudadezinha nas entrelinhas, de tempos que não voltarão. De vez em quando também me sinto assim. Aí, a vida como ela é hoje aparece com alguma surpresa e eu esqueço de como sinto falta de como ela era antes…

  7. Olá!!!
    Lu, adorei esse texto. Se não senti tudo o que vc falou, a maior parte com certeza.
    Beijos

  8. Clap Clap Clap!
    Lindo texto!
    E eu lembro de tudo isso.
    Tanto lembro que estou aqui em posição fetal.

    Beijo!

  9. Lu, eu vim aqui ler de novo, estava precisando me lembrar de mais coisas boas!
    Beijo 😉

  10. Ih Lu, tá querendo sujar fralda de novo?..rs.
    Sim, sim, sim um dia o mundo foi um lugar lindo, mas nele não existia diversão até de madrugada com os amigos tendo que acordar cedo no dia seguinte. Há coisas boas, mesmo quando tudo parece tão incógnita e sem graça. Se não achar, vá ao mercado e compre uma coisa bem gostosa para comer, mas só uma… porque o verão ainda não acabou…rs. bjos

  11. É, acho mesmo que as coisas já foram bem mais fáceis, o jeito é se acostumar e aprender (mesmo sofrendo) a viver desse jeitinho. :/
    :*

  12. Miga,
    Este texto é real, muito mais que deveria…!
    Estou toda enrolada no trabalho, mas qualquer coisa, me liga…!
    Beijinhos…!

  13. Eu lembro e isso não faz tanto tempo…

    Mas acho que aprendi a ficar bem hoje também.

    Você não?

    Beijocas.

  14. Lindo texto. De uma delicadeza impar, apesar de absolutamente contundente.
    A melancolia que desperta resulta não só da beleza encadeada das palavras, mas da realidade que descortina, do reflexo de nossas faces em meio às frases.
    Particularmente, os amigos de duas horas de brinquedos compartilhados foi sublime.
    Kisses,
    Andie
    =d>=d>^:)^^:)^=d>=d>

  15. estamos nos tornando ilhas agrupadas e não mais um continente. quando assisti o filme vinícius saí do cinema com uma nostalgia danada e escrevi um post falando das coisas que mudaram da época da minha juventude para os dias de hoje.
    abs

  16. Amei!! Nem me pergunte como cheguei até seu blog, mas tudo que posso dizer é: parabéns! Gostei tanto deste post que reproduzi no meu blog. Um beijo!

  17. Eu estava procurando alguma coisa sobre “lembrar”, e achei seu texto!
    Imediatamente, fiz um esforço danado pra recordar quando foi a ultima vez q eu me senti só… mas ñ consigo.
    Tudo que vc lembra com saudade, é a verdade dos meus dias.
    POrq eu sou melhor q vc? Não.
    Porq um dia alguém me falou sobre um nome do qual eu sempre ria quando me falavam. E esse nome mudou tudo.
    Aposto q tm alguém q já falou sobre uma cara chamado Cristo… da proxima vz, preste um pouquinho + de atenção!
    Minha querida, a vida é tão fascinante! Eu ñ conheço nenhum de vcs. Creiam se qiserem, mas tudo q esse texto diz q ñ existe, eu digo q é real.E gostaria muito q vcs pudessem viver o q eu vivo!
    Desculpe se eu fui intransigente!
    🙂

  18. sou uma eterna apaixonada por poesias.elas nos dão asas a imaginação,alegra a nossa alma,viver sem elas parece impossivel.

Comments are closed.