Babel Restaurante

Esta semana, eu e uma amiga fomos conhecer o restaurante Babel (CLS 215, Blco A, Loja 37, Brasília). Desde que a casa abriu abriu, há anos, tinha curiosidade de visitá-la. Bem, devo dizer que o almoço foi decepcionante.

A primeira impressão, antes de entrarmos, foi positiva. Restaurante pequeno, menos de 15 mesas, ambiente um pouco pretensioso, toalhas brancas com guardanapos vermelhos (de tecido). Segundos depois, a coisa começou a desandar. Havia uma mesa vazia do lado de fora, ainda suja. Do lado de dentro, mesas limpas acompanhadas de ar parado e quente. Escolhemos ficar do lado de fora, mais fresco. O garçom não gostou.

– Vocês não querem sentar lá dentro, onde já tem mesas prontas?

– Não. Queremos que você limpe esta, por favor.

Limpou. Ao longo do almoço, percebemos que o restaurante não tem por hábito limpar as mesas e prepará-las para novos clientes.

Pedimos o tal Almoço VIP Executivo: salada do dia, três opções de pratos quentes – ambas escolhemos o risoto de bacalhau e tomate – e maçã com farofa de paçoca para a sobremesa (por 36 reais). E duas cocas zero, por favor.

A salada chegou (as bebidas, não) e quase tivemos um ataque de riso. A surpresa foi tanta que nem dei conta de fotografar o prato: uma, eu disse uma rodela de tomate, com uma colher de repolho picado e outra de cenoura ralada (um vinagrinho e gergelim completavam o “prato”). Uma rodela de tomate, meu povo.

A essa altura, as bebidas já tinham chegado, mas nada de saleiro ou guardanapos. Não tiveram o cuidado de refazer a arrumação da mesa que escolhemos.

Veio o prato principal. Acho que só comi um risoto tão ruim da primeira vez em que tentei fazer a receita. Seco, duro e quase frio. Risoto é um prato cremoso que se espalha pelo prato. O nosso consistia de duas colheradas de arroz empapado, uma empilhada sobre a outra. Taí a foto que não me deixa mentir:

Risoto de Bacalhau e Tomate - Babel Restaurante
Arroz unidos-venceremos.

Pra completar, estava completamente sem sal. Eu raspei o molho do prato para dar algum gosto ao arroz (porque, né, nada de saleiro na mesa até então). O risoto da rede Spoleto dá de 10 a 0.

Ah, sim: quando chegou o prato principal, solicitamos os guardanapos ao garçom. Só assim para os recebermos.

Por fim, a sobremesa. Além de seca (nem vou comentar quão pequena era), a da minha amiga continha pedaços de plástico. Três deles. Clique nas fotos se quiser ampliar.

Maçã com Farofa de Paçoca e Plástico Maçã com Farofa de Paçoca e Plástico

Na conta, cobraram os 10% sobre o valor cheio dos pratos, apesar de termos cupons de desconto de um desses sites de compra coletiva. A prática é duvidosa, mas exercida por alguns estabelecimentos. Pelo serviço que tivemos, não deveríamos ter aceitado os 10% nem sobre as cocas, mas eu só queria pagar logo e almoçar de verdade em qualquer outro canto.

Atenção: o texto acima ampara-se no direito fundamental à manifestação do pensamento, previsto nos arts. 5º, IV e 220 da Constituição Federal de 1988. Vale-se do “animus narrandi”, protegido pela lei e pela jurisprudência (conferir AI nº 505.595, STF).

Atualização

Recebi um contato do Bruno, novo gerente do Babel. O comentário está aqui mesmo, mas como nem todos lêem os comentários, resolvi copiar e colar aqui no corpo do texto. O grande mérito é dele é respeitar a opinião de uma consumidora. Só por isso, o Babel já merece uma segunda chance quando for reinaugurado.

Oi Lu! Encontrei seu blog por acaso, mas não foi mera coincidência pois fazem apenas 45 dias que assumi a gerência do Restaurante Babel. Não posso deixar de concorda com o que foi postado pois trata-se de uma realidade que tivemos muito trabalho para aniquilar (esse é o termo certo) maus profissionais, ou melhor, indivíduos totalmente sem competência e preparo que infelizmente nos últimos 1 ano e meio vinham denegrindo uma imagem que levamos sete anos para construir, eu digo que levamos porque fazia parte da equipe que conquistou a estrela no guia 4 rodas a 6 anos atrás. Pois bem, nos dias atuais a nossa realidade tornou-se outra, gracas a muito trabalho, treinamento e dedicação, estamos conseguindo gradativamente recuperar o que havia se perdido, com uma nova brigada de cozinha e salão, confesso que a brigada é muito jovem e inexperiente, antes que você me pergunte o que nos diferencia da antiga brigada, já te adianto, dedicação, empenho e o mais importante queremos status e fama, só há um meio de conseguir isso que é prestando serviços de excelência e qualidade, com atendimento diferenciado ao nosso publico, sabendo que não se paga 4,50 em um refrigerante pra parecer “bonitinho” e sim para ser servido, ser paparicado. Lu acho que merecemos outra chance de mostrar e provar que a nossa casa pode oferecer um serviço de qualidade. Estamos em reforma reabriremos dia 26 de abril de 2011 com uma nova culinária deixaremos de ser contemporâneo e passaremos a ser italiano. Será uma honra recebê-la em nossa casa novamente. Entre em contato com agente através do meu e-mail. Desde já te agradeço pela postagem pois essa é a única forma de não cometer erros do passado.

16 thoughts on “Babel Restaurante

  1. Coisas de Brasília mesmo. Eu também tenho a minha lista de ambientes que não frequento por nada. E pior que eu adoro descobrir lugares novos.

  2. Excelente narrativa.
    Interessante o fato de tu teres ido no estabelecimento com cupons de compras coletivas. Este tipo de cupom deveria servir para a empresa se promover para potenciais clientes, sendo debitado da conta de publicidade, não para tentar ludibriar compradores com pratos de quinta.
    Estás mais do que no teu direito, estás exercendo a cidadania ao narrar a tua experiência.
    Acho até que deverias enviar um link para a empresa de compras coletivas da qual adquiriste o produto para que ela selecione melhor os seus parceiros.
    Abraços!

  3. Afe Lu… que desastre, hein? concordo com o Jorge: vale avisar o site de compras coletivas. O mínimo que uma empresa anunciante tem que fazer é garantir o cliente… (odeio o verbo fidelizar).
    Boa sorte na próxima.

  4. Passei pela mesma péssima experiência na semana passada! O risoto, ou aquilo a que eles chamavam risoto, era de carne seca com queijo coalho. Mas não tinha gosto de nada! Eu e minha irmã ficamos totalmente sem entender como algo que leva carne seca e queijo coalho podia ser tão insosso!
    Agora, uma coisa é fato: já tínhamos ido ao restaurante várias vezes há um tempo atrás e era beeeem melhor. Também adquirimos os cupons de desconto e só valeu a pena para sabermos que não devemos voltar lá!
    Não conhecia o blog ainda, indicação do Rodrigo. Gostei!
    Bjs

  5. Há um bom tempo tenho vontade de ir ao Babel, apenas por fazerem parte da Associação dos Restaurantes da Boa Lembrança, mas diante do seu relato, se quer saber, perdi completamente o apetite. É muito constrangedor o desleixo com que o consumidor, no geral, é tratado aqui nessas paragens. Adoraria ver um Hell’s Kitchen rodado em um desses restaurantes.

  6. Sobremesa com plástico picado dentro! Tô até agora imaginando qual a desculpa para haver PLÁSTICO picado dentro de um potinho de sobremesa!

    Babel: não vá lá!

  7. Tudo está assustador. A propósito, sério aquele “prato” (estou sendo generoso) com plástico era a sobremesa? Olha, até um passarinho ficaria indignado com o tamanho… daquilo. Diria eu que esta foi uma experiência para ser esquecida, no entanto é melhor mesmo que seja sempre bem lembrada!

    Abraços.

  8. Oi, Lu!

    Não é a primeira vez que ouço/leio críticas negativas sobre o Babel. Talvez por isso nunca quis ir lá. Ou já tenha ido e nem registrei.

    No blog “Em gula que eu gosto”, o Babel tá na seção “corram!” e aqui vai o link deles: http://emgulaqueeugosto.wordpress.com/2010/02/25/babel-ainda-do-restaurante-week/

    No Melhor e Pior de BSB, aqui tá a experiência: http://www.omelhoreopiordebsb.com.br/search?q=babel

    Enfim, pelo menos rendue um bom post.
    Beijocas.
    Vanessa

  9. Lu, eu já fui e na época gostei muito (dia das mães ano passado, acho), mas o serviço já era fraco. Acho que o cupom de desconto tem muito a ver com isso aí. Ao invés de usar a estratégia pra conquistar novos clientes, os restaurantes usam pra vender comida de baixa qualidade em grandes volumes.
    Enfim, é uma vergonha, pra variar…
    Bjs!

  10. Oi Lú, tudo bem? Tive acesso ao seu site através do BLOSQUE, e apesar de morar em BH adorei essa sua postagem, pois sempre que vou a algum restaurante analizo bem o que me é servido e como sou tratada, talvez por eu já ter sido garçonete.
    Belo blog, com certeza irei acompanhar!
    Beijos!

  11. Oi Lu! Encontrei seu blog por acaso, mas não foi mera conhecidência pois fazem apenas 45 dias que assumi agerencia do Restaurante Babel. Não posso deixar de concorda com o que foi postado pois trata-se de uma realidade que tivemos muito trabalho para anaquilar (esse é o termo certo) maus profissionais, ou melhor, individuos totalmente sem competencia e preparo que infelizmente nos ultimos 1 ano e meio vinham degrinindo uma imagem que levamos sete anos para construir, eu digo que levamos porque fazia parte da equipe que conquistou a estrela no guia 4 rodas a 6 anos atraz. Pois bem, nos dias atuais a nossa realidade tornou-se outra, gracas a muito trabalho, treinamento e dedicacao, estamos conseguindo gradativamente recuperar oque havia se perdido, com uma nova brigada de cozinha e salão, confesso que a brigada é muito jovem e inesperiente, antes que voce me pergunte oque nos diferencia da antiga brigada, ja te adianto, dedicacao, empenho e o mais importante queremos status e fama, so ha um meio de conseguir isso que é prestando servicos de excelencia e qualidade, com atendimento diferenciado ao nosso publico, sabendo que não se paga 4,50 em um refrigerante pra parecer “bonitinho” e sim para ser servido, ser paparicado. Lu acho que merecemos outra chance de mostrar e provar que a nossa casa pode oferecer um servico de qualidade. Estamos em reforma reabriremos dia 26 de abril de 2011 com uma nova culinaria dexaremos de ser contemporeneo e passaremos a ser italiano. Sera uma honra recebela em nossa casa novamente. Entre em contato com agente atravez do meu e-mail. Desde ja te agradeco pela postagem pois essa é a unica forma de não cometer erros do passado.

  12. Oi Lu, meu nome é Diego Koppe e sou o novo proprietario do Babel em Brasília, faço questão que voce me faça uma visita para que eu possa lhe mostrar todas as mudanças e melhorias na casa.
    Grato

    Diego Koppe

  13. Nossa, queria muito ir no Babel, mas depois deste depoimento Lu, fiquei na dúvida. Será que agora os serviços melhoraram? Você foi recentemente lá?

Comments are closed.