Ironia

Veja só como são as coisas: deixei alguns artigos pré-agendados para serem publicados durante minha viagem, para que o Dia de Folga não ficasse às moscas. A viagem já acabou, os textos agendados também… e não consigo atualizar o DF – ao menos, não do modo como gostaria.

O caso é que meu computador decidiu prolongar as férias dele por conta própria, pifando de uma forma absurda e preocupante. Até conseguir uma solução – e, com um pouco de sorte, os GB de dados que estão presos lá – vou me virando como for possível.

Ah, sobre o Oscar. Pois é, ganhou Onde os Fracos Não Têm Vez. O filme tem pontos fortes e grandes qualidades, é verdade. Algumas das estatuetas foram merecidas. A de melhor filme, no entanto, continuo achando um exagero. Mas essa é a graça do Oscar: ver os indicados, assistir à cerimônia morrendo de sono e tédio, discordar dos premiados e esperar pela festa do ano que vem.

Pensando bem… é, dá pra entender por que tanta gente não vê graça no Oscar.

Serviço

Acompanhe o Dia de Folga por email

Caixa de Email Depois de ler um texto do Alessandro Martins e de uma rápida conversa no Twitter, com opiniões da Nospheratt, da Bia Kunze, do Jonny Ken, da Gabi Nardy e do Edney (alguém ainda acha que o twitter não serve pra nada?), resolvi mudar uma velha política: a partir de hoje, além do feed (não sabe o que é feed?), também é possível acompanhar as atualizações do Dia de Folga via email.

Para receber os próximos textos do Dia de Folga diretamente o seu email, basta cadastrar seu endereço eletrônico na caixinha no menu lateral e não se esquecer de confirmar a inscrição clicando no link que você receberá no seu email. A partir de então, toda vez que um texto novo for escrito aqui, será enviado para o seu email automaticamente. Você pode cancelar o envio a qualquer momento, por meio do link de rodapé “unsubscribe now”, presente em todas as mensagens.

Por que demorei tanto para adotar essa prática?

Primeiro, porque não achei que esse recurso fosse importante, não achei que alguém realmente usasse isso. Segundo, porque acho os feeds uma sacada tão legal que busco incentivar o seu uso e sempre acreditei que esse serviço de entregas por email fosse prejudicial à disseminação dos feeds.

Por que mudei de idéia?

Porque o texto do Alessandro dá conta de que mais de 300 leitores preferem acompanhar o blog dele via email. As opiniões que recebi no twitter confirmam: muita gente usa e gosta do serviço de entrega por email de novos textos.

Pensando bem, até que faz sentido. Se você acompanha uns 3 ou 4 blogs, talvez não precise mesmo de um agregador de feeds. Por outro lado, entrar todos os dias em 4 ou 5 blogs só para descobrir que nã0 há nada de novo é um porre. Nesse caso, a entrega por email pode ser a saída mais prática.

Se você tem blog e gostaria de oferecer o mesmo serviço aos seus leitores, é só usar o FeedBurner para gerar o seu feed. Depois, no FeedBurner, procure a guia “Publicize” (Publicar) e, em seguida, “Email Subscriptions” (Assinatura por Email). Habilite o serviço, copie e cole o código no seu blog e pronto.

Também existe um serviço especializado em gerar newsletters com foco em blogs, o Zookoda. Como já uso o FeedBurner, não cheguei a testá-lo.

3 desafios de uma vez [Desafio 21]

Já que estou atrasada com o Desafio 21 da Nospheratt, resolvi juntar 3 deles no mesmo texto.

Agradecimento aos Colaboradores

Hesitei muito em dar resposta a ao desafio do agradecimento. Não porque não tenha a quem agradecer – é justamente o contrário. Tanta, tanta gente contribuiu para o Dia de Folga este ano que é impossível agradecer a todos.

Em todo caso, há 4 pessoas que foram mais que fundamentais para o Dia de Folga este ano. Pessoas que ajudaram nos momentos críticos, que me fizeram repensar e melhorar o DF, que contribuíram para que eu levasse essa história de blog mais a sério (sem deixar a diversão de lado, claro). Nospheratt, Janio Sarmento, Lucia Freitas e Manoel Netto, este ano foi o mais legal do Dia de Folga, graças a vocês. 😉

Dezenas de pessoas deram alguma contribuição para o DdF, seja em forma de comentários, seja tirando dúvidas, seja com palavras de incentivo, seja com ótimos textos em seus próprios blogs. Todas elas, em algum momento, foram citadas por aqui, como forma de agradecimento e a todas dou meu muito obrigada. Se tentasse fazer uma lista exaustiva agora, aí sim, cometeria injustiças.

Good Blogs Hunting

O desafio era descobrir 3 bons blogs dentro do meu nicho. Tentei pesquisar no BlogBlogs e no Technorati e foi um rematado desastre. Achar bons blogs buscando por tags como “variedades” ou “entretenimento” é quase impossível: a grande maioria deles é feita para caçar paraquedistas e, por mais que eu defenda a liberdade de cada blogueiro fazer o que quer com seu espaço, não queria citar blogs que não fossem realmente interessantes para meus leitores.

Recorri, então, à minha tática para encontrar bons blogs antes mesmo de começar a escrever o meu próprio: xeretar os blogrolls (listas de blogs) presentes nos blogs que eu gostava de acompanhar. Encontrei:

Os três são blogs opinativos, interessantes, diversificados e bem escritos. Já estão no meu agregador de feeds.

Jogo dos 7 Erros

Blogar é assim mesmo: aprende-se por tentativa e erro. Listar entre 3 e 7 erros cometidos durante o ano é uma chance de rever os acidentes de percurso e evitar que outros blogueiros os comentam.

  1. Preguiça: em algumas épocas, o DdF ficou bem abandonado. Em conseqüência, as visitas caíram e a motivação arrefeceu. Solução: estabelecer uma meta de 3 textos por semana e fazer o possível e o impossível para manter-me dentro dela. Nem sempre consegui, mas a tentativa servia como um bom empurrão.
  2. Ausência de uma política de comentários: estou trabalhando numa – há meses. Na verdade, está juntando poeira na minha caixa de rascunhos… Preciso agilizar isso.
  3. Ausência de mediakit: gerou-me complicações quando entraram em contato pedindo preços de anúncios. Tive que fazer um esboço muito porco às pressas. Resisti muito à idéia de fazer um mediakit, mas parece que o treco é mesmo necessário.
  4. Excesso de textos sobre a blogosfera: assunto que adoro, mas que não é interessante para parte do público do DF. Estou tentando corrigir o problema, dosando melhor os assuntos – mas ficar sem escrever sobre a blogosfera, já vi que não dá.
  5. Péssima escolha de formato de permalinks: usava o formato http://diadefolga.com/categoria/nome-do-artigo. Não demorou muito até perceber que esse formato podia trazer complicações e que menos é mais quando o assunto é permalink. A solução foi alterá-lo para http://diadefolga.com/nome-do-post. As dores de cabeça que a alteração gerou duraram meses.
  6. Pouco uso do negrito: eu sei que negrito facilita a leitura de textos, principalmente quando são longos como os meus. O leitor pode “scanear” o artigo em busca das informações que lhe interessam. Ainda não me acostumei a usá-lo e tenho de policiar-me todo o tempo.

Hum… 6 erros. Já está de bom tamanho para cumprir o desafio.

Novidade!

Notou a diferença no Dia de Folga? Não? Então, volte ao começo da página, ou dê uma saidinha do leitor de feeds por um segundo.

Percebeu agora?

dia de Folga - LogoSim, o Dia de Folga agora tem uma logomarca linda, caprichada, com o espírito do blog! Não preciso mais resmungar “pôxa, só o meu blog não tem um desenho legal”. Adivinha só? O meu tem o mais legal! 😀

Obrigadíssima ao Manoel Netto, que teve a iniciativa e a inspiração partindo do zero, já que a figurinha aqui falava “ah, não sei o que eu quero”.

Excelente forma de comemorar o aniversário de quatro anos do DF, hein?