Dica básica para tirar pó com agilidade.

Semana passada, apresentei o tira-pó, que tem me ajudado muito nessa tarefinha chata – aliás, ajuda tanto que a tarefa deixou de ser chata e se tornou até divertida, feita ao som de música e tal.

Mas tem uma dica básica e quase sempre negligenciada que ajuda demais a manter a casa livre de pó: reduza o número de bibelôs!

Claro, todos gostam de exibir algumas coisas: colecionáveis, porta-retratos etc. Mas, quanto mais coisas você deixa sobre as superfícies, mais pó elas acumulam e mais tempo você vai gastar para limpar tudo.

Além disso, quanto mais coisas você exibe, menos elas são vistas. Tudo se funde numa única massa confusa. Em vez de destacar suas lembranças e gostos, você apresenta uma bagunça sem qualquer sentido.

Lembre-se da velha máxima: menos é mais.

A rotina de limpeza da casa.

Como sempre digo, se tentarmos seguir qualquer método ao pé da letra, há grandes chances de que o abandonemos logo. O truque é sempre fazer adaptações para ficarmos confortáveis e fiéis à rotina.

Dito isso, aviso que não sigo algumas das regras principais da FlyLady:

  • Não tenho uma rotina noturna de cuidados com a casa (a noite é toda minha).
  • Não limpo a casa todos os dias. Meu apartamento não é grande e sou apenas eu para limpar e sujar. Logo, não sujo muito e não preciso limpar muito.
  • Não separo 15 minutos diários para o destralhamento, porque minha casa já está livre de tralhas, graças ao caminho minimalista que venho traçando há quase dois anos.

Por outro lado, sugiro fortemente que você faça o destralhamento todos os dias, como indica a FlyLady. Não é possível limpar ou organizar bagunça, e a maioria das casas tem muita bagunça. Como eu disse, há anos pratico o destralhamento, por isso posso abrir mão dessa etapa diária.

Agora, vamos ao que eu faço às segundas e quartas-feiras:

  1. Acordo entre 8h e 9h.
  2. Tomo café-da-manhã e vejo seriados até as 9h30 (Friends e Will & Grace, quase sempre).
  3. Nos intervalos comerciais, lavo a louça do dia anterior.
  4. Vejo minha planilha de tarefas para a Zona da semana e decido por onde vou começar.
  5. Marco o timer do microondas para 60 minutos.
  6. Executo tantas tarefas quantas forem possíveis nesse tempo e marco o que fiz na planilha.
  7. Além das tarefas da planilha, tiro o pó dos móveis e limpo os banheiros seguindo o swish and swipe (no futuro, detalharei a técnica).

Mas eu falei que limpo a casa 3 vezes por semana, não é? É que na sexta-feira é dia de passar aspirador e pano molhado (na verdade, uso um mop) na casa inteira, com especial atenção para o chão da Zona da semana: nela, uso uma bucha para tirar alguma mancha mais resistente, arrasto móveis, limpo os cantinhos com mais cuidado. Na sexta-feira, gasto entre uma hora e uma hora e meia com isso.

Entre as sextas-feiras, se o chão da casa precisa de um trato, uso o hiperclean (agradeço à Simone pela graça alcançada) e em menos de 15 minutos fica apresentável.

É bem verdade que às vezes não dá tempo de fazer tudo que planejei nas segundas e quartas. Se preciso de apenas mais uns 10 ou 15 minutos pra acabar e tenho esse tempo, vou em frente; se não, deixo pra outro dia, mesmo que seja uma das tarefas fixas, como tirar o pó.

Também pode ser que eu tenha que fazer algo inadiável na segunda-feira, por exemplo. Ai, deixo a limpeza da casa para a terça. Não adianta ser inflexível, imprevistos sempre ocorrem.

Já me aconteceu, inclusive, de não conseguir limpar nada durante a semana inteira. Em outubro, por exemplo, não cumpri nenhuma das atividades de limpeza detalhada da Zona 1. Tudo bem: na segunda semana, parti para a Zona 2 como se nada tivesse acontecido. Em novembro, quando voltei à Semana 1, limpei a Zona 1. Sem stress, sem tentar cuidar de duas Zonas ao mesmo tempo, sem autopunição.

Em semanas particularmente atribuladas, uso o sábado como dia curinga. Confesso que detesto quando isso acontece, mas às vezes não tem outro jeito.

Uma vez por semana, dou uma olhada ao meu redor e tento destralhar um pouco mais a Zona correspondente. Na cozinha e nos banheiros, normalmente não consigo; na sala e no quarto, quase sempre arranjo alguma coisinha para desapegar.

Semana que vem, começo a compartilhar minha lista de tarefas para cada Zona.

Como tirar pó sem sofrer.

Cada pessoa tem uma tarefa de casa que odeia com todas as forças, não tem? No meu caso, é tirar pó.

Se você é como eu, você me entende: tirar pó é um servicinho chato, demorado, que não rende e que, duas horas depois, parece que nem foi executado! Não tem pior.

Mas espere: seus problemas (e os meus!) acabaram! Apresento o tira-pó-instantaneitor!

Não, falando sério, apresento uma espécie de espanador que, por ser composto de muitos fios de microfibra trançados, agarra a poeira com uma facilidade incrível:

Tira-pó.Moro num bairro que, por ainda estar em construção, tem muita poeira. Três dias depois de tirar pó da casa usando um pano comum, testei o tal espanador. Olha como ele ficou:

Tira-pó depois do uso.

Em uma passada pelos móveis, agarrou a poeira fina que eu mal via.

Esse treco tem várias vantagens:

  • agarra o pó e não solta (mas, se a superfície estiver muito empoeirada, ele vai empurrar o excesso para a beirada e você vai precisar passá-lo novamente ali)
  • é lavável – você tira a “luva” de microfibra, coloca na máquina de lavar e aí sim, o pó solta
  • demora para saturar (eu lavo uma vez por mês, e uso cerca de 10 vezes antes de lavar)
  • a haste é flexível – dobrando-a, consigo atingir lugares que normalmente exigiriam uma escada
  • funciona a seco e sem qualquer produto de limpeza
  • é tão eficiente que o tempo para tirar pó da casa cai drasticamente

Essa última vantagem é a mais importante, porque agora eu tiro pó de toda a casa em menos de 10 minutos! Sério, gente. E não faltam superfícies na minha casa: bancadas, aparadores, a parte de cima da geladeira e do micro-ondas…

O meu tira-pó é da Bettanin e custou cerca de 30 reais no Wal-Mart. Já vi um idêntico, mas sem marca, na loja física da Etna por menos de 15 reais.

Nada como a ferramenta certa para agilizar o serviço, hein?

Agradeço à Sra. Monte pela graça alcançada, já que foi ela que me apresentou essa maravilha. 😉