Arroz à Piamontesa

Não sou fã de arroz branco. Puro, assim, sem mais nada? Que sem graça. Arroz, pra mim, é no sushi ou no temaki. Ou frito em bolinhos. Ou doce. Ou em forma de risoto.

E tem o arroz à piamontesa. Posso comer uma pratada dele sem mais nada, nem uma carninha. Se eu fosse condenada à morte, minha última refeição conteria arroz à piamontesa (e mais uma dezena de guarnições, pode apostar – eu é que não iria fazer dieta à beira da morte; talvez até morresse antes da execução, de tanto comer).

Para ser perfeito, só falta ser simples de fazer – ops, não falta nada! É facílimo!

Arroz à Piamontesa - ingredientes
Ingredientes.

Ingredientes

  • 1 xícara de arroz cru
  • 350 ml. de leite
  • 200 gramas (um copo) de requeijão
  • 100 gramas de queijo parmesão ralado de boa qualidade

Você também precisará de

  • panela média

Preparo

Cozinhe o arroz sem qualquer tempero. Reserve.

Leve ao fogo o leite e o requeijão. Mexa para que o requeijão derreta completamente.

Quando ferver, adicione o queijo ralado e abaixe o fogo. Mexa de vez em quando, até atingir um ponto levemente cremoso. Acrescente o arroz cozido. Mexa de vez em quando, sempre suavemente para não quebrar os grãos do arroz.

Estará pronto quando estiver cremoso como um risoto ou um arroz doce. Não deixe secar!

Sirva com a carne de sua preferência.

Dicas e Complementos

Arroz à Piamontesa
Com filé mignon.

Se você tem dificuldade em acertar o ponto do arroz (bastante gente tem), pode usar o que vem embalado em saquinhos individuais, pronto pra ser colocado na água fervente. Um saquinho equivale a uma xícara. Ele sempre fica cozido no ponto certo e soltinho.

Não use sal ao preparar o arroz. Todo o sal de que você precisa virá do requeijão e do queijo ralado.

Se secar, você pode corrigir adicionando um pouco de leite quente. Não é recomendável – o ideal é que você não se distraia e desligue o fogo na hora certa – mas é melhor que jogar tudo fora e começar do zero.

  • Tempo de preparo: 40 minutos
  • Grau de dificuldade: fácil
  • Rendimento: 6 porções

Salpicão de Presunto

Essa receita eu ganhei de presente do Homem na Cozinha.

Salpicão de Presunto Foi assim: o Cobra, cozinheiro de mão cheia, faz vídeo-aulas práticas e rapidinhas, ideais para quem está começando a se aventurar pelas panelas e fica meio inseguro de vez em quando. Entre agosto e setembro, ele fez uma série especial patrocinada pela Knorr e aproveitou para homenagear alguns blogueiros – e, olha só, tive a honra de ser uma das homenageadas. Ainda por cima com uma receita que adoro: salpicão de presunto!

Essa forma de preparo é diferente da que eu conhecia porque leva batatas. O resultado é uma salada que rende pra caramba e tem pouca gordura, já que a quantidade de maionese, comparada aos outros ingredientes, é pequena.

Segundo o Cobra, a receita é para umas oito ou dez pessoas. Deve ser isso mesmo – afinal, são 5 batatas grandes.

Agora, veja bem a situação. Éramos quatro mulheres hospedadas na Morada das Deusas/Albergue da Joaninha, com hábitos de sono e alimentação pouco recomendáveis. O dia em que fiz o salpicão foi particularmente atribulado. Resultado: almoçamos às dez horas… da noite! E não havia outro prato: o salpicão, teoricamente um acompanhamento, virou prato único!

Claro está que devoramos a travessa, pois não? Sobrou apenas uma porção pequena – aquela “da educação”, sabe? – que estava ainda mais saborosa no outro dia.

Adorei a homenagem e a receita, Cobra, obrigada! 🙂

PS: Eu sei, devia ter caprichado mais na apresentação do prato, mas estava morrendo de fome!

Barcas de Ricota com Salmão, Kani e Surubim

Essa receita foi criada para participar do sorteio do livro de receitas[bb] Nigella Express, do blog Homem na Cozinha. Como a Nigella sempre prega a simplicidade na cozinha (sim, sou fã do programa dela), de modo a sobrar tempo para os amigos e a família, criei para o sorteio uma receita simples e rápida, mas sofisticada.

Ingredientes

  • 200 gramas de ricotaEndívia - para quem não ligou o nome à hortaliça
  • 100 ml. de leite
  • 1 punhado (generoso) de cebolinha fresca picada
  • sálvia e tomilho (se frescos, tanto melhor, mas usei-os secos)
  • 1 fio de azeite
  • sal a gosto
  • 1 pé (ou maço) de endívia
  • 50 gramas de kani
  • 50 gramas de surubim defumado
  • 50 gramas de salmão defumado
  • pimenta do reino moída na hora (de preferência)

Você também precisará de

Preparo

Primeiro, faça o recheio das barquinhas: no mixer (ou processador, ou liquidificador), bata a ricota, o leite, a cebolinha, a sálvia, o tomilho, o azeite e o sal, até obter uma pasta homogênea a consistente. Não adicione todo o leite de uma vez – dependendo da textura da ricota, você precisará de mais ou menos leite. Vá provando e ajustando o tempero e a consistência enquanto bate. O sabor da pasta deve ser suave e todos os temperos devem aparecer nas mesmas proporções. Não exagere no sal, nem no azeite.

Em seguida, pegue seu maço de endívias e corte a base. Desfolhe-as com cuidado para não rasgá-las. Escolha 10 folhas de tamanho médio para pequeno. Lave e seque as folhas escolhidas, sempre com delicadeza.

Barcas de Ricota com Salmão, Kani e Surubim No prato em que será servida, prepare a porção individual: arrume 5 folhas de endívias e recheie cada uma com uma colher (das de sopa) da pasta de ricota e ervas. Não passe disso – o creme é pesado e esta é só uma entrada.

Agora, a cobertura: use lascas de kani em umas, surubim defumado em outras e salmão defumado nas últimas.

Por fim, decore o prato com cebolinha picada e moa um pouco de pimenta do reino por cima. Sirva a seguir.

Dicas e Complementos

Se você não come peixe cru, dê uma leve tostada no surubim e no salmão primeiro. Leve-os ao fogo em uma frigideira antiaderente – nem precisa untar. Só não deixe que fiquem torrados, secos e duros.

Você acha o salmão e o surubim nos supermercados, prontos para servir e em embalagens pequenas (100 gramas). Se não achar um ou outro, use o que encontrar. Se só achar kani, faça todas as barquinhas só com o kani.

Essas barquinhas também devem ficar ótimas com filé de camarão ligeiramente cozido.

Outra sugestão é fazer um molho de azeite e alcaparras para acompanhar as barquinhas. Ou de azeite e mostarda. Que tal?

O creme de ricota pode ser preparado na véspera, ou mesmo antes. Basta guardá-lo na geladeira, em recipiente tampado.

Aproveite o que sobrar do creme para passar em torradinhas, ou fazer canapés. As endívias restantes podem ser picadas e transformadas numa ótima salada verde. Endívias duram um bocado na geladeira, especialmente se você só lavá-las na hora de usar.

A apresentação conta muito. Faça a montagem do prato com calma e atenção.

  • Tempo de preparo: 40 minutos
  • Grau de dificuldade: fácil
  • Rendimento: 2 porções grandes

Batatas ao Murro

Reza a lenda que esta receita é de origem portuguesa e que, para ser típica, deve-se usar sal grosso. Como não sou supersticiosa nem churrasqueira, nunca tenho sal grosso em casa. Vai daí que acabei inventando minha própria versão das batatas ao murro, aproveitando o que tinha na despensa. Ficaram deliciosas!

Ingredientes

  • 4 batatas inglesas médias (aquelas comuns, encontradas em qualquer verdurão)
  • Azeite ou manteiga
  • Ervas finas secas
  • Sal

Você também precisará de

Preparo

Lave bem as batatas. Não descasque, nem pique.

Regue a assadeira com um fio de azeite, ou unte levemente com a manteiga.

Arrume as batatas inteiras na assadeira e cubra com papel alumínio. Leve ao forno médio por 50 minutos.

Batatas logo após o murro Retire a assadeira do forno e remova o papel alumínio. Com as costas de uma colher, esmague cada batata, como se estivesse dando um murro nela (só use a mão se quiser se queimar). Não é preciso esmagar demais, nem repetidas vezes – um empurrão em cada batata basta.

Após “esmurrar” as batatas, coloque sobre cada uma um pouquinho de manteiga, ou regue-as com um fio de azeite. Espalhe uma pitada de sal e um punhado de ervas finas desidratadas. Tenho uma mistura de alecrim, sálvia, manjerona e estragão (e outras que já nem me lembro) prontinha para pratos como esse.

Sem cobrir a assadeira, retorne-a ao forno por mais 10 minutos. Depois disso, estarão prontas suas batatas ao murro.

Dicas e Complementos

Batatas ao Murro Após 50 minutos de forno, as batatas deverão estar macias (mas não desmanchadas), cedendo à pressão da colher. Se não estiverem nesse ponto, retorne-as ao forno, cobertas com o papel alumínio, por mais 10 minutos e repita a tentativa de esmagamento.

Essas batatas são uma ótima guarnição para qualquer carne, branca ou vermelha.

  • Tempo de preparo: 1 hora
  • Grau de dificuldade: fácil (facílimo, na verdade)
  • Rendimento: 2 porções