Sempre mais do mesmo

Metal contra as nuvens, a mais longa música da Legião Urbana (álbum V, dezembro de 1991) fala de decepção, traição, abandono. Dá a impressão de ter sido composta após alguma profunda desilusão amorosa.

Os legionários, no entanto, já sabem: Metal contra as nuvens foi feita por Renato Russo como um desabafo diante do descalabro trazido por Fernando Collor. A desilusão que a música irradia é em relação à política.

Quem já passou dos 25, lembra bem: Collor apareceu na campanha presidencial de 1989 como um Salvador da Pátria, prometendo liquidar o “tigre da inflação com uma só bala” e iniciar uma “caça aos marajás”. Seu concorrente era o matalúrgico Lula – esquerdista, despreparado e inculto. Os debates foram verdadeiros massacres. Collor ganhou as primeiras eleições diretas para a presidência do país em 30 anos.

Sua primeira medida foi confiscar contas correntes e poupanças, levando ao desespero milhões de pessoas que dependiam do dinheiro para saldar compromissos. Muitos empresários foram à falência, outros tantos suicidaram-se. A hiperinflação não foi contida e o país mergulhou numa profunda recessão.

Em 1992, depois de mais um plano fracassado para deter a inflação, surgiram as primeiras denúncias de corrupção, associando o então presidente a acusações de “Caixa 2” e outras maracutaias promovidas por P. C. Farias, tesoureiro da campanha de Collor. Foi instaurada uma CPI que culminou na sua renúncia, em dezembro de 1992, para escapar ao processo de impeachment. A manobra não deu certo e Collor foi declarado inelegível pelos oito anos subseqüentes.

Renato Russo tinha a qualidade de compor letras atemporais. Assim, Metal contra as Nuvens, embora se refira a um momento político determinado, é carregada de outros sentidos, possuindo a capacidade de produzir reações diversas em que escuta a música. Eu, por exemplo, embora conheça o real significado da letra há tempos, continuo associando-a à força que é necessária para seguir em frente quando as pessoas mais queridas dão as costas, traem, mentem, desaparecem. O bom poeta induz sentimentos e impressões além das meras palavras.

O que ninguém poderia prever, nem o próprio Renato, é que, catorze anos depois, Metal contra as Nuvens serviria sob medida para descrever outra realidade política, tão parecida à criada por Collor. Desta vez, o protagonista é Lula, aquele metalúrgico inculto e despreparado que, finalmente, foi capaz de conquistar a confiança de mais da metade dos eleitores brasileiros. Tudo para, depois, jogar essa confiança na lama, exatamente como Collor fez.

A história se repete, como um disco arranhado.

Notinhas

  • Quem duvida que o real significado de Metal contra as Nuvens seja político pode tirar a prova dos nove lendo a entrevista dada por Renato Russo em 1994 e publicada na Folha de São Paulo em 2001.
  • A letra e o áudio de Metal contra as Nuvens podem ser encontrados aqui.

28 thoughts on “Sempre mais do mesmo

  1. Olá!!!

    Acho que eu nunca dei a devida atenção a esta letra… Vou olhar com mais cuidado.

    Sobre o nosso presidente inculto, despreparado e no qual eu não votei e não voto nem se o outro candidato for o Garotinho… Nada a declarar. Só um detalhe, mais da metade votou e muita gente votaria de novo (que meda!).

    Bom fim de semana, Lu!!!
    Beijos

  2. Cris tem razão! muita gente acha que o Lula é inocente. Lembro quando o Collor saiu e foi barra aqui em casa. Uma luta para tirar o dinheiro do banco para pagar funcionários. Ainda correu um boato que muitos empresários sabiam antecipadamente que haveria o confisco. Passamos por tantas crises e pacotes! O Lula seria o salvador da pátria. Mostrou ser um pária!
    Bom fim de semana! Beijus

  3. ola ola 🙂

    vim elogiar o trabalho. maravilhoso o blogui. e ainda dei a sorte de cair aqui numa matéria de renato. amo.

    parabéns.

    abraços.

  4. Menina tô com saudade de vc… não tenho tido muito tempo de visitar os blogs.. Mas concordo em tudo com vc.. renata é simplesmente divino e a politica e ses presidentes… não passam de escrotos.. nenhum salva…

    bjs

  5. Como eu conversei com uns amigos no sábado, impressionante a atemporalidade das letras do Renato Russo. O cara realmente ia nos sentimentos e situações sem apelar para intermediários (no máximo um ou outro personagem fictício). Por conta disso, Legião está no meu Top 3 do carro nas últimas semanas (ô fase…). Bjs

  6. Realmente metal contra as nuvens é a mais longa, e até o disco V é um disco difícil de se ouvir muitas vezes, talvez fosse o disco mais Legião urbana de todos, sempre tive essa impressão.

    “Por Deus nunca me vi tão só
    é a própria fé o que destrói.
    Estes são dias desleais.”

    Bem lembrado Lu.

  7. Gosto, mas não sabia que era para o Collor.
    Acho que tem coisas que é melhor não saber: ai dos que sabem, pagarão por ter sabido pouco!
    Geralmente, ele tentava terminar com uma certa esperança.
    Eu acho que é desespero. Veja o caso de pais e filhos: é preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã.
    Se encaixa para o Lula também. E vai se encaixar para o pós-Lula e para o outro e o outro, interminavelmente.
    Teoria: os bons morrem jovens, por isso não haverá presidente bom, para ser presidente é preciso ter idade adiantada, logo, não é bom.
    Fim

  8. Creio que o significado da música “metal contra as nuvens” tenha alguma coisa a ver com o tempo do feudalismo mas queria saber o verdadeiro sgnificado. ^:)^

  9. :)Oi…
    Achei muito interessante seu comentário sobre a letra da música “Metal Contra as Nuvens” do grupo Legião Urbana. Entrei nesse site pelo google, procurando o significado da letra da musica “Meninos e Meninas” Tbm do mesmo grupo para fazer um trabalho na faculdade.
    Se alguem puder me ajudar c/ esse assunto. Ficarei muitpo grata.
    Desde já OBRIGADA!!!:)>-

  10. Estava msm procurando o real significado da letra dessa musica… Para mim ela é sim de cunho politico, mas talvez atemporal.
    Se percebemos bem, ela tem uma forte “tendência” para a era medieval: a luta dos servos subjugados pelos seus senhores.
    Por exemplo: o “quem sabe o sopro do dragão” é uma comparação ao dragão, mito medieval que causava medo e pavor aos reis e senhores. Quer mostrar sua ira e revolta à classe dominante, e possivel “virada de mesa”.
    Outro: “perdi o meu castelo e minha princesa” ele canta a perda do individuo que perde seus poucos bens, mas para este tem o msm “valor” ao castelo e à princesa dos reis, apesar de possuir no maximo um “casebre e uma esposa”.
    E ainda:
    “A propria fé o que destroi, esses são dias desleais” Se refere ao dominio da Igreja na Idade Média, sem qquer liberdade de pensamento ou possibilidade de ascenção social.
    Outra:
    “Eu sou ouro em seu brasão” É ele quem dá o valor ao brasão do seu senhor, é ele quem faz crescer sua riqueza com o trabalho de suas mãos.

    E tem mais pontos que se referem diretamente a essa época. Tentem perceber…
    Gostaria de ver comentários…
    Abraços….
    Pedro:-“

  11. 🙂
    Eu concordo plenamente com o que a Cris disse, Lula é exatamente como o Collor,não presta.Adorei o assunto principalmente porque está falando do RENATO RUSSO, meu ídolo!!!

    Bye,beijos!

  12. Poxa, eu nunca tinha olhada pra esse letra com tanta atenção. Sempre gostei muito da música, me arrepiava só de ouvir, mas sempre dei mais valor ao final dela onde há mensagens de esperança e determinação:
    “Não me entrego sem lutar
    Tenho ainda coração
    Não aprendi a me render
    Que caia o inimigo então”

    “E nossa história
    Não estará
    Pelo avesso assim
    Sem final feliz
    Teremos coisas bonitas pra contar
    E até lá
    Vamos viver
    Temos muito ainda por fazer
    Não olhe pra trás
    Apenas começamos
    O mundo começa agora, ahh!
    Apenas começamos.”

    Vendo essa interpretação e também a reportagem citada vi o tamanho da minha ignorância perante o que o Renato Russo quiz dizer…

    Ele falou sim de Collo, principalmente quando escreveu: “E há quem se alimente do que é roubo.
    Mas vou guardar o meu tesouro
    Caso você esteja mentindo.”
    Foi o grande golpe que Collor deu em todos com o confisco do dinheiro de todos logo o início do mandato… Mas vi tbm muito simbolismo da época feldal como o Pedro falou… Mas acredito q ele tenha usado termos dessa época pra atacar diretamente Collor, q ao contrário no nosso atual presidente “ignorante Lula”, era muito culto. Nãoi se vivia mais em época de repressão a liberdade de expressão,mas ainda assim um presidente pode ter muita influência sobre o futuro de uma banda… Collor só não foi mais forte q a voz de muitos jovens, os mesmo q infelizmente hj se calam diante de Lula…

    Mas é isso, um pouco de esparança e determinação sempre é bom, termino com um trecho da música q cabe muito bem agora:

    “NÃO ME ENTREGO SEM LUTAR
    TENHO AINDA CORAÇÃO
    NÃO APRENDI A ME RENDER
    QUE CAIA O INIMIGO ENTÃO!”

  13. Olha soube a poucos dias q falava de Collor mas a forma como agem esses políticos é mais ou menos assim muitos casos estão esquecidos e q não tem realmente tempo de serem julgados. Muitas letras de Renato fala de direitos esquecidos e de como as pessoas não enfatizam esse ponto. E ficam no auê e na hipocrisia q o mundo quer nos passar. Mas sabe-se q existem muitas coisas por trás desses golpes de políticos isso sempre houve em toda a história de países como por exemplo bolsa de valores . Um tema q acho de estrema relevancia e q coloco é pra q ou pra quem o Senado trabalha realmente. Para Brasil ou para brasileiros? Ele mesmo falou numa de suas músicas q um dia pretendo tentar descobrir porq é mais forte quem sabe mentir. E na política isso é uma coisa sempre presente. Quem conhece o Brasil sabe de como é fácil enganar o povo com marketing. Obrigado é so minha opinião

  14. Interessante… Jamais pensei pelo lado político.

    Tenho o disco V como meu auto-retrato e Metal Contra as Nuvens é uma das músicas mais marcantes para mim. Traduz com quase perfeição minha personalidade…

    Ah sim! Também não imaginava tratar de desilusão…

    Sempre tive dificuldades de dar significados às músicas de Renato Russo…

    Será que você tem mais siginificados aí Lu Monte?!

    Bjos

  15. é sobre a A Ordem Dos Templários

    ***

    Legiao V 1991
    Faixas do álbum
    1.
    2. Metal Contra As Nuvens
    3. A Ordem Dos Templários
    4. A Montanha Mágica
    5.

  16. achei sua interpretação ótima
    nunca olhei por esse lado tão especificamente(collor e a robalheira)
    parecia que o eu lirico era de um cavaleiro medieval
    adorei seu blog

  17. Lula tah fazendo um ótimo trabalhoo
    tah ajudando quem necessita!!
    Consegui meu 1º emprego e estou estudando numa faculdade particular pelos ótimos projetos do governo.

  18. A MUSICA SE DIVIDE EM QUATRO PARTES:
    I. Conquista e perda da terra santa;
    II. Julgamento dos templários;
    III. Condenação de Jacques DeMolay;
    IV. Os templários continuam existindo

  19. Sopro do dragão é uma comparação ao Dragão, Mito Medieval que causava medo e pavor aos Reis e Senhores. Quer mostrar sua ira e revolta à classe dominante, e possivel “virada de mesa”.

    E tudo isso é uma inferência ao Governo de Fernando Collor de Mello.

  20. Muito inteligente e prestativo seu artigo. Tenho uma visão sobre o Collor, que não acho ser exclusiva: Ele teve esse lado mesmo, tudo isto que foi falado, só não ficou muito claro contra quem a “tirania” se dirigia,porque suas promessas foram patrocinadas pelas elites e pela gente que realmente governa este país, incluindo a Rede Globo. Entretanto, sua conduta feriu mais a esta elite, sua traição foi maior para com ela, ao ponto dela se mexer e através de seus métodos tirá-lo do poder e ainda deixando aquele orgulho que muita gente (iludida) das classes populares sente ao dizer que participaram do impeachment de um presidente. Eu vivi a época e sei o que digo.

  21. METAL CONTRA NUVENS CONTA NITIDAMENTE A TRAJETÓRIA DOS TEMPLÁRIOS, UMA VEZ QUE RENATO RUSSO ERA APAIXONADO POR HISTÓRIA!!! LÓGICO, QUE A MÁXIMA “A HISTÓRIA SEMPRE SE REPETE”, A LETRA CABE EM TODOS OS CASOS DE PRESIDÊNCIAS CORRUPTAS QUE SE VENDEM!!!

    LAMENTÁVEL O COMENTÁRIO:

    “Filipe disse:
    domingo, 25.01.09 às 16:39
    Lula tah fazendo um ótimo trabalhoo
    tah ajudando quem necessita!!
    Consegui meu 1º emprego e estou estudando numa faculdade particular pelos ótimos projetos do governo.”

    OU O FILIPE EH ALIENADO OU PARENTE DO LULA OU ZÉ DIRCEU OU PALOCCI…..
    FILIPE DEIXA TE CONTAR UMA COISINHA, TENHO 38 ANOS!!! NA ÉPOCA DO COLLOR TAMBÉM CONSEGUI MEU PRIMEIRO E MELHOR EMPREGO E ENTREI NA FACULDADE SENDO BOLSITA!!! MAS NÃO FOI POR OBRA DE NENHUM PRESIDENTE “MAURICINHO-DROGADO” OU “ANALFABETO-PSEUDOMETALÚRGICO” E SIM POR MÉRITO E ESFORÇO EXCLUSIVAMENTE MEU!!! E COMO DIZ “EU QUERO A ESPADA EM MINHA MÃO, EU SOU METAL….”

  22. Eu acredito que a música “Metal contra as nuvens” fale muito a cerca de liberdades individuais e também de decepções, trechos como “Não sou escravo de ninguém, ninguém senhor dos meus domínios…” “Minha terra, é a terra que é minha…” me fazem ter essa interpretação. Não sou deste tempo, eu ainda era muito pequeno, mas pelo pouco que conheço sobre o caso do Collor, passo a pensar realmente que essa letra e o corrido tenham um certo líame. Parabéns pelo seu blog, inteligentissímo!

  23. Cara que viagem. A música é a história de um cavaleiro medieval, só isso, como Dado e Bonfá já falaram em entrevistas. Que mani de querer achar pelo em ovo…
    O Renato realmente ficou decepcionado com o Collor, mas essa música não tem nada ver com isso.

  24. @neobat29, vai ler a entrevista que o próprio Renato deu e que eu linkei no fim do texto, vai.

    É difícil escrever pra quem não sabe ler, viu?

  25. Sempre adorei essa música (tenho 40 anos). Partes dela me tocam profundamente ainda mais na fase da vida que estou. E por acaso fui atrás do significado que o Renato havia dado a cada palavra e me deparei com o texto falando de cavalheiros templários…. achei viagem demais de quem havia dito isso (ainda teve o trabalho de listar estrofe por estrofe e as interpretando). E vi o link da folha com a entrevista do próprio Renato falando que é sobre o COLLOR: jamais poderia imaginar. Gostei do que você LU MONTE disse aqui no seu blog. Parabéns.

  26. Lu Monte

    Li a entrevista, e o Renato afirma categoricamente que a música fala sobre o Collor. Mas ainda assim, ele também chegou a dizer que a “Pais e Filhos” era sobre suicídio, embora não fosse SÓ sobre isso. O Renato tinha mania de soltar frases fortes como essas mesmo, mas cabe ao nosso bom senso interpretar. Metal Contra as Nuvens fala sim sobre o Collor, mas ela é bem maior do que isso.

Comments are closed.