Quem entende a Record?

Posso compreender a preferência da Rede Record por exibir House dublado e posso até aceitar que essa dublagem seja sofrível. Sei lá por que razão pularam a primeira temporada, tudo bem. Passar à meia-noite uma série excelente? Vá lá, eles devem entender de grade de programação melhor que eu – e, afinal, se derem sorte, pegam a audiência que assiste à temporada mais recente no Universal Channel às 23 horas (tem funcionado comigo). Nem vou reclamar do “Doutor” que inseriram no nome da série. Fizeram muito pior com Monk, que ganhou o subtítulo cafona “Um Detetive Diferente”.

Agora, o que não dá pra entender é como a Record abre mão de 15 minutos de anúncios comerciais a cada episódio.

15 minutos – 30 anunciantes, ou 20, que seja – por episódio. 15 minutos que poderiam trazer dinheiro à emissora e, quem sabe, mostrar-lhe que sim, vale a pena exibir boa programação na tv aberta. 15 minutos que a rede ignora, preferindo colocar um telejornal sem graça que repete o que todos os outros já disseram ao longo do dia.

Eu sei, deveria ficar contente por assistir a menos propaganda a cada episódio. Mas é que eu queria mesmo compreender o que se passa na cabeça dos engomadinhos que controlam os canais abertos.

Possivelmente, é mais fácil entender a vida, o universo e tudo o mais.

21 thoughts on “Quem entende a Record?

  1. Realmente não dá pra entender! Pelo menos a resposta pra vida o universo e tudo mais nos já temos! 42!

  2. Ah! é fácil de entender…

    Porque eles querem que o “Fale que eu te escuto” entre o mais cedo possível!!

    “Pequenas igrejas, grandes negócios…”

  3. Eu não assisto a record quase nunca, mas realmente não dá para compreender a programação.

    Mas de gente incompetente o Brasil está cheio. Eu não sei o porquê, mas me lembrei agora dos engenheiros de tráfego. Um sinal abre, o seguinte fecha. PQP! Por que não abrir um, e o próximo daqui a alguns segundo, e depois o próximo, etc? Assim não precisaríamos ficar parando em todos os sinais? Será que não pensam? Aqui até há avenidas monstruosas que funcionam dessa maneira mais sensata, mas são exceções. Infelizmente. [nada a ver eu falando isso aqui, mas tu me perdoa né lu? kkkk Eu deveria ir para o púpito do altas horas kkkk]

    Xêro.

  4. A primeira resposta é complicada. Adoro algumas série que a TV aberta faz o favor de estragar, as mudando de horário de repente, repetindo sempre a mesma temporada ou mesmo cancelando. E todos sabemos que séries boas dão audiência!

    Pelo menos para a vida, o universo e tudo o mais, a resposta é fácil… 42! Ah, e obrigado pelos peixes! 😛

  5. Lu,
    Quanto a questão das séries traduzidas, está um problema, mas pelo menos é a única rede de tv aberta que está se preocupando em passar séries de qualidade…
    Já sobre ganhar dinheiro, eles não são bobo não. A receita da Record tem aumentado bem, tanto que abriram escritório em Washington, contrataram a Heloísa Villela para comandar esse escritório, e ainda vão abrir o Record News, como o GloboNews e o Band News.
    abs

  6. Mas tu é inocente hein… os anunciantes não são ignorantes, eles não querem anunciar num horário tão ridículo! Pois os anunciantes sabem que só geeks, nerds, blogueiros e esse tipo de gente esquisita que faz compras virtuais é que está assistindo, então pra que anunciar???
    Por isso que eles não passam muitos anúncios, porque não existe demanda! E eu acho ótimo!!!
    Quanto ao nome do “doutor house” o nome original é “house md” que significa literalmente Medicine Doctor, e numa tradução livre, e popularmente falando, seria “doutor house”… não entendi o porque da sua estranheza.
    Sim “um detetive diferente” ficou patético! 😛
    Beijo

  7. Oi Lu!!!
    Também ouvi que a Globo comprou a primeira temporada… O p***a é que eles provavelmente passarão durante as madrugadas de sábado, após o Altas horas e o Corujão, como fazem com todas as séries que compram… 🙁
    E eu não assisti a primeira… Porque será que o Universal só repetiu a segunda, né?
    Beijos

  8. Bizarra essa história de uma emissora comprar a primeira temporada e a outra comprar a segunda. Go figure…

    Aliás, “Monk” também não era da Globo, originalmente?… Lembro de vê-la de vez em quando, alta madrugada.

    Paulo, outro canal aberto que tinha boas séries era a Rede TV. Foi lá que conheci “Seinfeld”, “Will & Grace” (que fizeram a asneira de dublar, após algumas temporadas) e outras boas séries. Não sei como anda agora.

    Neto, se bem me lembro, a Globo passava blocos de propaganda monstruosos durante “24 Horas” e “Lost”. E ainda passa durante o “Programa do Jô”. Será que o horário é mesmo tão ruim quanto você diz? Sobre o nome, deixasse só “House”, como é apresentada pela Universal. Mas tudo bem, podia ser pior.

    Aliás, finalmente fizeram um trocadilho entre “House” e “home” – esperaram até o último episódio da terceira temporada. 😛

    Cris, eu nem assisti à segunda temporada completa – quando a Universal reprisou, eu ainda não tinha o canal. Estou aproveitando a exibição da Record pra tirar o atraso.

  9. Olá, Lu!

    Sempre estou por aqui (nunca deixei de estar…) mas hoje resolvi deixar um alô, afinal, você é minha “madrinha” nisso. Da outra tentativa, o Dia de Folga foi minha pesquisa preferida em plugins.

    Abs!

    Sérgio

  10. Olá lu.. não aguentei e resolvi comentar sobre isso…
    faz tempo que não assisto mais tv aberta poe ser muito deplorável… ainda mais se tratando de seriados do qual me privo em não assitir devido as sacanagens que eles cometem conosco, como parar a série quando achar melhor… repetir episódios, o SBT é campeão nisso…
    Contudo a record me desanimou quando começou House… começaram errado, empurrando essa dublagem horrivel, sem contar tudo isso que ja comentaram acima…

    No entanto possuo um blog de seriados, o baixaserie.. quem se consideram diferente também e quiser baixar as 3 temporadas completas e assistir legendado no pc eu recomendo e peço licenca à LU para postar os links aqui ou onde ela achar melhor…abraçosss

  11. Na Verdade 24 horas nem tinha tanto anuncio assim!

    Cada episódio na fox dura 1 hora exatos… na Globo durava uns 50, 55 min. As pessoas achavam que a Globo estava editando o seriado, mas na verdade eles cortavam os comerciais.

    Muitas vezes eles preferem não passar propaganda para “fidelizar” os telespectadores. As miniséries da Globo raramente tem comenrcial nos 1os capítulos.

    Ou vai que eles estão “levantando” a audiência para a próxima atração…

  12. Você tem que entender que as pessoas gostam cada uma de programas diferentes, não são todos que entendem uma mini-serie, ou programa lixo da moda, a maioria só sabe discutir futebol e marcar churrasco, fora brigar depois, porque ficou corajoso com a bebida, você está no Brasil, não gosta daqui, vaza!

  13. Sergio Grigoletto, que bacana! Nada como saber que o que a gente faz ajuda e motiva outras pessoas! Passei pelo teu blog e gostei bastante, já foi para o agregador de feeds!

    Carol, nem eu, felizmente. House, acabo acompanhando também na Record, por ter perdido alguns episódios da segunda temporada.

  14. O engraçado é que eu iria acompanhar o seriado na Record, li muitos elogios sobre a série e então fiquei curioso. Quando eu descobri que a Record estava passando a segunda temporada desanimei, recentemente aproveitei uma promoção da americanas e comprei a primeira temporada por R$ 49,90. Viciei na série, vi os 22 episódios em cinco dias!!!

  15. Olha só gente, se não sou presidente da emissora, quero mais é ver propaganda zero em qualquer coisas exibida, ou tô errado? De qualquer forma a Record, e faz tempo, já mandou a globo pro inferno.

  16. Quanta ignorância, Neto. Fica quietinho aí e não fala bobagem.

    Hoje em dia os “geeks, nerds, blogueiros e gente esquisita” são a nova força consumidora em que os anunciantes querem atingir. Não um bando de ovelhas, operários, a “massa”, em que, creio eu, você se inclui.

    Sei que esse comentário vem com 2 anos de atraso, mas é que tem coisas que não dá pra passar, nem que seja tarde demais!

Comments are closed.