Parece pouco?

Para Doação

Pra muita gente, é melhor que o nada do dia-a-dia.

O Blog Action Day 2008 convida a refletir sobre a pobreza. Não é preciso muito esforço para encontrá-la por aí, em morros, viadutos, terrenos baldios, calçadas e marquises. Também não é preciso muito esforço para aliviá-la, mesmo que temporariamente. Que tal vasculhar os armários e separar aquilo que está em bom estado, mas já não serve para você?

Você me dirá “isso não resolve o problema”. Não, não resolve. Nem por isso vou deixar de dar melhor destino a um casaco que não me agrada mais, umas blusas que não me servem, um punhado de material de escritório que não uso. Certamente, serão mais úteis a alguém que às minhas gavetas.

As questões realmente sérias não são resolvidas por uma única pessoa ou com um único gesto, mas graças a uma miríade de pequenas ações. Não se valha da desculpa “isso não resolve” para cruzar os braços. Faça algo, por menor que seja, mas faça.

8 thoughts on “Parece pouco?

  1. Lu
    Me parece que “refletir sobre a pobreza” é muito pouco para o que o nome do evento propõe: Action Day.
    Dos mais de 10 mil blogs que estão participando, quantos realmente vão produzir uma ação real?
    Escrever é muito fácil (o que mais existe no mundo é literatura), mas ir para a rua e fazer alguma coisa que realmente possa ajudar alguém é uma realidade muito distante para 99,99% dos participantes.
    Na foto são os itens que você vai doar? Se for, legal, isso realmente pode ajudar alguém.
    Mas, contando nos dedos, você acha possível encher uma mão de pessoas que vão ter uma atitude igual a sua?
    Acho que seria muito mais válido se a gente fizesse um evento em que todos os blogueiros doassem a renda de um dia para uma causa real.
    Acho que faria mais diferença para o mundo que está lá fora.

  2. Lu, eu também penso que se fala muito e se faz pouco. O ideal é que se fizesse uma campanha com ações efetivas. Aí, sim, faria a diferença.
    Fiz uma faxina nas gavetas e enchi um saco enorme com roupas que serao doadas. Eu nem sei por que guardo coisas que não uso por tanto tempo.
    beijo, menina

  3. Concordo com vocês que as pessoas poderiam fazer algo além de falar (esvaziar os armários, por exemplo, é uma coisa tão simples), mas gente, eu acredito que falar também faz diferença. Se uma única pessoa que leu este post (ou viu a foto no Flickr) levantar o traseiro gordo da cadeira e separar meia dúzia de roupas pra doação, motivada pelo post, ele terá feito diferença para duas pessoas, pelo menos: o doador e o beneficiado.

    Dudu, sim, estes são os itens separados para doação. Faço essa triagem em casa uma ou duas vezes por ano. Quanto à doação de um dia da renda do blog, no meu caso ela não seria suficiente nem para um saco de mariolas. 😉

    Denise, também não sei de onde tiro tanta coisa parada. Ano que vem, tenho certeza de que sairá a mesma quantidade…

  4. Nhe, discordo do dudu em gênero grau e tamanho (até porque meus rendimentos não seriam de utilidade)… acho que falar faz efeito sim. Sempre faz. Nem que seja para descobrirmos que agilizar a limpeza do armário e doar roupas, objetos encostados e outros trens que a gente guarda pode ser, sim, uma pequena ação de mudança.
    Acho que pensar grande, em linhas políticas, também pode fazer a diferença. A dê passou lá na casa da Joaninha e sugeriu q eu enviasse a proposta aos candidatos. Eu vou mandar é pro eleito – e pelas vias competentes… 😛
    bj

  5. Muito boa a iniciativa e acredito que, como você mesma falou as pequenas ações que fazem a diferença. Sempre que posso eu dôo algumas coisas que não uso e pode servir para outras pessoas. Só sou contra de dar dinheiro a mendigos porque eu acredito que a maioria poderia procurar algum emprego, mais honesto que fosse. Lógico que existem aqueles que estão entre a vida a morte e se sujeita a pedir esmolas, mas nestes casos eu prefiro dar comida, ou doar roupas e entre outras coisas.

    E falar ajuda sim. Ajuda a mobilizar as pessoas, e encarar a realidade que o mundo está passando e se tornar a ser pessoas melhores que nos preocupamos com problemas sociais.

    Parabéns por você tomar essa iniciativa.

  6. Bem… e se nós blogueiros tentássemos organizar ações sociais também? Fica a idéia e também divulgar, escrever, falar sobre. ISso pode vir a ser tema de um BlogCamp… sei lá…
    E mais: não precisamos pensar mundialmente, mas se cada bairro se organizar em resolver seus próprios problemas.. uma cidade se refaz… essa mesma idéia pode ser usada aqui… se vários blogueiros escreverem, divulgarem e agirem teremos satisfações em vários lugares que pode ser um TODO grande.
    Refletir é bom sim, principalmente para ajudar quem não tem não só a ter, mas a ter condições de crescer e se desenvolver… “não basta dar o peixe, é mais importante aprender a pescar…”

    Parabéns pelo trabalho Lu. Seu blog é sim fonte de informação e reflexão.
    Abraçao

  7. Lu, é a tal história: já mudei hábitos lendo/ouvindo outras pessoas, portanto só posso acreditar que isso faz diferença. E manda mesmo as propostas. 🙂

    Aline, também não dou dinheiro. Primeiro, pela razão que você levantou: geralmente não dá pra saber só de olhar se aquela pessoa não está ali por comodismo. Segundo, porque muitas vezes quem esmola stá sendo explorado por um “cafetão de pedintes”, especialmente no caso de crianças e velhos.

    Carol, faz é bem – inclusive pra quem ajuda. 🙂

    Josluza, o Graveheart puxou uma ação social no natal passado. Já estou conversando com blogueiros de Brasília pra ver se fazemos algo parecido este ano. Tomara que dê frutos!

Comments are closed.