Já estou acostumada

Da série Furtos – Parte 3 de 3

Essa aconteceu na vida real.

Oito horas da noite. Estacionamento próximo a uma das melhores creperias da cidade. Vários carros parados, já que é uma rua com diversos outros restaurantes. Flanelinha presente, claro.

Traseira do carro ao alcance da visão durante todo o tempo passado no restaurante. Normalmente tranqüilíssima com essas coisas, eu estava incomodamente apreensiva, voltando o olhar para o carro de vez em quando.

Quatro horas, quatro pratos e muita conversa depois, eu e melhor-amiga vamos pegar o carro.

Abro a porta do carro.

Novecentos reais em material escolar novinho da irmã da melhor-amiga, que estava no porta-malas, espalhado pelos bancos. Porta-luvas escancarado. Tampa do espaço para o som arranhada.

Pra variar, um filho de uma ronca-e-fuça miserável, safado, %&$#*@% arrombou meu carro atrás de cd-player.

Quebrou a cara, mas antes disso quebrou a pintura junto à maçaneta da porta do passageiro.

Carro novo, cinco meses e meio, sem nenhum arranhão. Hora ou outra, tinha que acontecer alguma coisa, mesmo.

O cúmplic…, digo, flanelinha, virou fumaça.

Povo no trabalho não entendeu a minha calma ao narrar o fato, hoje.

Conta comigo:

  • 1. Já tive um carro furtado. Saí do trabalho e andei o estacionamento inteiro até aceitar que não, não parei em outro lugar, parei aqui mesmo e levaram o carro (que reapareceu depois de quase um mês).
  • 2. O seguinte foi arrombado, fechadura danificada, lataria amassada, fiação arrebentada – tudo isso para levar um toca-fitas dos mais simples.
  • 3. Depois de ano e meio, o mesmo carro foi aberto novamente, dessa vez com mais delicadeza, e lá se foi meu cd-player.
  • 4. Entre um incidente e outro, o carro do meu pai ficou comigo por uns dias, e adivinha?, ladrão arrombou debaixo da minha janela, levou umas moedinhas e um guarda-chuva (deixou o toca-fitas, sei lá por que cargas d’água).

É ou não é o suficiente pra nem estressar mais?

Especialmente porque o prejuízo foi pequeno: o material escolar restou intacto (se o %$&*@# gostasse de estudar, não estaria arrombando carro), as coisas que habitam meu carro continuam todas por lá, o módulo RCA que joga o som do meu mp3-player (meu pda, na verdade) para os auto-falantes não foi encontrado (graças aos caras que fizeram uma ótima instalação) e a fechadura continua trancando (se bem que não sei que diferença isso faz).

O defeito na pintura, segundo meu pai, nem dá pra se notar. Eu o vejo a léguas de distância. Igual adolescente com uma espinhazinha no rosto, que só enxerga o vermelhão do tamanho do mundo.

Estou pensando em deixar a pintura descascada mesmo. Quem sabe coloque um lembrete, cada vez que estacionar o carro: “Seu colega já passou por aqui. Volte outro dia”.

10 thoughts on “Já estou acostumada

  1. Estamos no front! Melhor andar de carro véio. 🙁 Um polimento não resolve? (Essa sugestão é feita em consideração ao comentário do seu pai)
    Off-topic: Vi seu comentário na Morg sobre mudanças do blogger coincidir com a novidade do wordpress. Não é coincidência. Eles possuem os mesmos desenvolvedores que convivem sem stress, o resto é por conta dos que se utilizam do serviço.
    Vi também que fez o lay da Marilyn e não sei se pode me ajudar; sabe porque o Luz fica bagunçado no firefox?

    Entendo algumas pessoas que mesmo sem acreditar colocam amuletos e santinhos nos carros :d

    Beijus

  2. Nossa, que chato!
    Vc tem razão, a gente já nem se estressa muito mais com essas coisas. Contanto que não mexam com a gente diretamente, pode levar o que quiser. Mas que é chato, é. E triste tb. O foda é que quem é gente grande não passa por um constrangimento qualquer desse tipo. O Brasil tá dureza em matéria de criminalidade.
    Beijos!

  3. Lu, que merda isso… estamos á mercê desse bando de $#@#$$@. Morro de medo q arrombem o meu também e ando escolhendo onde estacionar, que horários sair, etc… virei refém do medo. Às vezes fico pensando se um alarme adiantaria mesmo alguma coisa…

    ainda bem que não houve maiores danos no teu carro, graças a Deus…

    bjos!!

  4. É luma, a dica da Luma é boa … sera que o polimento não resolve ?!
    Olha só eu uso o More Smiles e gosto muito, me parece que ele funciona até no wordpress 2.5, imagino que funcione com o 2.1 também, né ?
    Não da pra olhar no site, mas o link é este: http://mattread.com/projects/wp-plugins/more-smilies/
    Acho que vai servir pra vc sim …
    beijos

  5. :”> Lu, me desculpe! Estou tentando esvazia-la 🙂 se não conseguir novamente, me mande pelo gmail (luma2rarrobagmailpontocom) Obrigada! Beijus

  6. Meninas, o polimento seria uma alternativa, se o buraco na pintura não fosse tão grande. Não é um arranhão, é um buraco mesmo. Esses bandidos usam uma chave-de-fenda para forçar a fechadura, e tiram duas ou três camadas de pintura. Só serviço de pintura pra dar jeito. 🙁

  7. Infelizmente, lamentavelmente é assim que ocorre. No momento meu carro está sem som, com aquele buraco horroroso de quem foi arrombado e eu sigo faceira com o meu player no ouvido, no estilo mais fuleira impossível.
    Mas qualquer hora dessas irei instalar ali um equipamento para distrair os gatunos.
    É dramático, mas ao que parece temos que nos “acostumar”.

  8. Ano passado trabalhei num caso de roubo de carro, e no dia da audiencia a vítima lamentava ter recebido o carro ( tinha seguro) mas não tinha recebido os livros de volta (alguns de edição esgotada)…Conversei com o réu, e ele que já havia confessado o delito, prometeu que iria mandar a mulher dele devolver os livros que tinha ficado na casa dela…E devolveram os livros- todos!!! Tive o prazer de ligar pra casa da vítima, e ver a alegria dela com os livros -maravilhosos por sinal!!!

  9. Se fosse na pintura do meu veiculo 1989 (que tem a lataria impecavel, diga-se de passagem)eu ficaria puta da vida. Imagino sendo a sua crianca tao novinha e tinindo…

  10. A criminalidade atingiu tal ponto que nem em casa parece haver proteção. Na casa de um colega meu, pularam o muro, “botaram o cachorro para dormir”, abriram a porta da garagem, tiraram o para-brisa frontal do carro (tem que ser profissional para fazer isso) e levaram todos os objetos que estavam dentro do veículo. Como se não bastasse, levaram as calotas também. Curioso é que ninguém ouviu nada. Só foram ver o que aconteceu quando notaram que o cachorro não apareceu na porta da cozinha, como fazia quando iam tomar café da manhã.

Comments are closed.