Eu nem queria, mesmo.

Nunca vi um produto potencial ser tão comentado na blogosfera como o tal iPhone, da Apple. Depois que a marca emplacou o iPod, tudo que ela promete lançar torna-se hit antes mesmo de sair do papel.

Pois bem: depois de meses de especulação, o iPhone está (quase) virando realidade. Steve Jobs apresentou o protótipo esta semana, na MacWorld Expo 2007, em San Francisco, EUA. Imediatamente, o assunto virou febre na web, perdendo espaço apenas para o bloqueio do youtube provocado por dona Cica, embora o modelo só esteja no comércio a partir de junho, a um preço salgado que começa em quinhentas doletas.

Deixo a descrição do aparelhinho por conta deste texto do Meio Bit, que também indica os links para a página do produto no site da Apple. Eu vi o site, assisti ao videozinho uma três vezes e, admito, babei. O ponto alto é a integração entre telefone celular, câmera fotográfica e o consagrado mp3 player da Apple, tudo num aparelho com tela sensível ao toque. Além disso, é um gadget de grife e inegavelmente lindo.

Agora, sem querer dar uma de raposa contemplando uvas inatingíveis, o iPhone não é a última cocada do tabuleiro. Para começar, não possui slot de expansão, deixando o comprador limitado à memória que o aparelho oferece de fábrica e que nem é tanta assim: 4 GB ou 8 GB. Já existem iPods de 80 GB, logo vê-se que 8 não é tanto assim. A câmera fotográfica também poderia ter uma resolução maior – a Nokia, nos seus últimos lançamentos de celular, já usa câmeras de 3 megapixels. Ainda por cima, o iPhone somente será vendido em conjunto com planos de minutos contratados com a operadora Cingular, ao menos durante os primeiros anos, o que já deixa os brasileiros de fora (até encontrarem uma forma de desbloquearem o aparelho).

A pior parte, na minha opinião, vem agora: é impossível instalar softwares de terceiros. Quem tem celular rodando Symbian (presente nos modelos mais sofisticados da Nokia) sabe como os programinhas adicionais enriquecem as funções do aparelho. Os proprietários de pocket pc phone ou treo também estão acostumados à facilidade. O iPhone permitirá apenas a instalação de widgets, pequenos aplicativos criados para funções restritas, como informar a previsão do tempo e, em princípio, feitos exclusivamente pela Apple.

Para bagunçar o coreto, a Cisco Systems está processando a Apple por uso não autorizado do nome iPhone, de propriedade da Cisco e usado por ela para designar seu telefone projetado para uso em redes VoIP como o Skype.

Com tantos problemas e limitações, essa agitação toda em torno do iPhone revela-se “muito barulho por nada”, ou por muito pouco, na melhor das hipóteses. Com menos dinheiro é possível comprar aparelhos mais completos que, se não têm o charme de um iPod incrementado, também não têm as restrições impostas pela Apple. Será que só a grife bastará para tornar o iPhone um sucesso de vendas?

16 thoughts on “Eu nem queria, mesmo.

  1. Ah Lu, vou ter que rebater algumas informações do seu texto.

    Primeiro, sobre a memória interna. É 8 GB, sim, mas é memória flash, mais rápida, resistente, pequena e versátil que o HD que equipa o iPod Video. Só para ter idéia de como isso é muito em se tratando de flash, a Sony está lançando só agora Memory Sticks PRO Duo de 8 GB, e ao preço nada convidativo de U$ 300,00. Se Jobs colocasse um HD no iPhone, tal qual nos iPod Videos, o aparelho encareceria mais ainda, perderia mobilidade, ficaria mais frágil.

    Li pouco sobre a câmera do iPhone, então não dá pra tecer muitos comentários sobre isso… Só digo que quantidade de mega pixels não é fator decisivo na qualidade final da imagem. Vide aquela Genius G-Shot, da PoliShop: tem 12 mega pixels, mas você se arriscaria a comprar algo que é vendido na PoliShop? Eu não. Isso sem falar na nas TekPix da vida. Ah, e celular com câmera imbatível mesmo é este aqui :d.

    A limitação do MacOS X em não instalar softwares de terceiros é realmente meio broxante. Mas, sei lá, veja pelo lado bom: software só da Apple, garantia de estabilidade. Não que seja o caso de todo mundo, mas um amigo vivia reinstalando o Symbian no seu N-Gage com uma freqüência assustadora. E se o celular já tem tudo que o usuário precisa, pra que mais?

    Ok, ok, estou só vendo o lado bom da coisa. É que é difícil ver lado ruim nessa belezinha :x. O único ponto que realmente me frustrou foi o sistema de venda, vinculado com a Cingular. Fora isso, detalhes, apenas detalhes…

    Caramba, ficou um texto :”>.

    []’s!

  2. Rodrigo, tudo bem que a memória interna seja de 8 GB, mas que podia ter um slot de expansão, podia… especialmente com essa expansão recente de vários padrões de memória flash (a Samsung já tem compact flash de 32 e 64 GB!).

    Concordo plenamente, a quantidade de megapixels não é a única coisa que pesa para uma boa imagem. É que, vindo da Apple, eu esperava ao menos que ela barrasse a Nokia.

    Os aparelhos da SE andam fantásticos ultimamente!

    E nem esquenta, adoro comentários longos! E vivo deixando-os em outros blogs também! 😉

  3. Oi Lu!

    Primeiro de tudo ótima a sua crítica, mas (sempre tem um mas 🙂 )

    Eu reallmente acho que com 8 MB (flash) eu (eu disse, eu!) não não vou precisar de slot de expanasão! Não haveria tempo para ouvir e/ou assistir mais do que isso em um dia inteiro dedicado só para isso! E convenhamos, ninguém vai passar um dia inteiro dedicado só ao iphone!

    Você realmente acredita que não vão conseguir:
    1 – Fazer programas pra ele?
    2 – Desbloqueá-lo para outros chips de operadoras?

    Não dou 1 mês para alguém fazer!

    E Phonecam é só tiração de onda! Quem quer foto de verdade, compra uma máquina fotográrica!

    Na segunda geração do iphone o preço fica mais real (batendo na madeira!).

    Veja, eu não sou nenhum fã da apple: usa hardware e software fechado e proprietário!

    Mas fiquei encantado com o bichinho, mesmo sabendo que ele não é pro meu bico ($)!

    abraços

  4. Passada a euforia, meus sonhos de consumo ainda são o Nokia N80 (sonho possível) e o Nokia 95 (sonho impossível). 🙂

    Os sony ericsson tão começando a me interessar também. Principalmente os novos, que tão vindo tudo com Symbian UIQ 🙂

  5. Tá todo mundo babando por um iPhone mesmo, menos os japoneses (segundo este artigo do LA Times – http://www.latimes.com/technology/la-fi-japanphone11jan11,0,6424968.story?coll=la-home-headlines
    (Desculpa o link um pouco grande:d)
    Seguindo a lista de sonhos de consumo de Glacial, tbm queria um iPod novo (tvz um nano) e um macbook. O iPhone e o iPod vão ter q esperar e pro Macbook estou apostando numa promoção 🙂 do Cornetto (pra quem quiser participar tbm, é só ir em http://www.cornetto.com.br). Queria muito, mas tudo da Apple é assim, né?
    Bj

  6. Olá Lú!

    Puxa! Isso é muito chato mesmo!

    O negócio é ficar com os novos palm com Linux mesmo 🙂
    Mas se eu ganhar um Iphone eu não vou reclamar 🙂

    []’s

  7. Eu também não tinha idéia da explosão de popularidade blogosférica do iphone até surgirem cento e cinquenta e nove artidos em feeds que assino só sobre ele. Legal é que já temos os genéricos brasucas também. 😉
    Primeira visita que faço no teu blog, vim lá do Glacial, e já tá nos feeds também. :d

  8. Até que enfim um texto inteligente sobre o ma-ra-vi-lho-so aparelho.
    Todos só informaram sobre o aparelho, você é a primeira a pensar sobre os recursos e limitações do aparelho.
    É por isso que eu te amo! 😉
    Aliás pouco comentei sobre esse assunto em todos os blogs que vi a notícia, o seu merece!
    Se eu tivesse cascalho eu teria um com certeza!
    Bju

  9. Luuuuuuuuuu,
    Você bem sabe como sou ligada a tecnologia, né?
    Analfa-totaaaaaaaaaaal!
    Mas você você assim disse, se o aparelhinho tem tudo isso, eu acredito e quero um também! :d
    Espero que esteja tudo bem contigo!
    E *feliz vida toda*, mocinha!
    Beijo!

Comments are closed.