Panqueca Low Carb

Essa não é aquela panqueca doce de café-da-manhã americano, mas sim aquela panqueca do almoço de domingo. É fácil de fazer e, nessa versão, é perfeita para quem monitora o consumo de carboidratos.

Ingredientes

  • 6 colheres (sopa) de creme de leite (que não seja light)
  • 4 colheres (sopa) de farinha de amêndoas
  • 4 colheres (sopa) de queijo ralado
  • 3 ovos
  • 1 pitada de sal
  • outros temperos a gosto (opcional)

Você também precisará de

  • Frigideira média ou grande
  • um pouco de azeite ou manteiga

Preparo

Misture todos os ingredientes com um garfo, um fouet ou um mixer.

Coloque o azeite ou a manteiga na frigideira e leve ao fogo. Quando estiver quente, despeje um quarto da massa no centro da frigideira e rapidamente leve a massa para as bordas.

Panquecas Low Carb

Após um minuto ou dois, a massa já estará sequinha o suficiente para virar. Vire para dourar e está pronta a primeira panqueca. Não é necessário untar a frigideira para fazer as seguintes.

Recheie com o que quiser. As da foto foram recheadas com as sobras de um lombo de porco que eu tinha feito na slow cooker. Desfiei, esquentei, enrolei e comi.

Dicas e Complementos

Você pode cobrir as panquecas com molho de tomate (ou outro molho low carb) e queijo e levar para gratinar no forno pré-aquecido em temperatura alta por 10 minutos, ou até que o queijo derreta.

A substituição da farinha de amêndoas por outros tipos de farinha alterará a textura e a quantidade de carboidratos da receita. Faça por sua conta e risco.

Essa massa é cremosa e é necessário espalhar rápido pela frigideira para conseguir a forma de panqueca. Não é uma massa fininha como a tradicional. Se achar que está muito grossa, adicione uma colher (sopa) e água e misture novamente.

  • Tempo de preparo: 20 minutos
  • Grau de dificuldade: fácil
  • Rendimento: 4 panquecas grandes

 

Risoto de Salmão Defumado com Raspas de Limão Siciliano

Costumo ter uma embalagem de salmão defumado congelado sempre a postos. É um ingrediente delicioso, versátil, descongela rapidinho e dá um tcham em qualquer receita. Vai daí que um dia me saiu esse risoto de salmão defumado com raspas de limão siciliano, simplesmente delicioso!

Ingredientes

  • 5 xícaras (chá) de caldo de legumes
  • 1 xícara (chá) de arroz arbóreo
  • meia xícara (chá) de vinho branco decente
  • 100 gramas de salmão defumado congelado
  • raspas de um limão siciliano
  • uma colher (sopa) de manteiga
  • azeite

Você também precisará de

  • panela média para o risoto
  • panela pequena para o caldo de legumes

Preparo

Descongele o salmão e pique-o grosseiramente.

Leve ao fogo o caldo de legumes ou a água para dissolver o envelope (envelopes de caldos dissolvem mais facilmente e têm menos gordura que os tabletes), e dissolva-o quando a água ferver. Diminua o fogo.

Esquente um pouco de azeite numa panela. Quando estiver quente, acrescente o arroz e frite-o ligeiramente.

Em seguida, derrame o vinho. Mexa até que uns dois terços do vinho tenham evaporado.

Acrescente uma concha do caldo de legumes fervente (ou bem quente – você pode desligar o fogo do caldo de vez em quando, mas certifique-se de que fique sempre bem quente). Mexa o arroz delicadamente, para liberar o amido sem quebrar os grãos. Não é necessário mexer o tempo todo, mas preste atenção: assim que metade do caldo tiver evaporado, é hora de acrescentar mais uma concha. Faça isso sucessivamente.

Enquanto isso, raspe um limão siciliano superficialmente, para ter apenas a parte verde da casca (a branca pode amargar a receita).

Lá pela quarta concha (ou terceira xícara de caldo), o risoto deve estar quase pronto. Acrescente o salmão e misture.

Risoto de salmão defumado com raspas de limão siciliano.
Leve e muito saboroso.

Use quanto baste de caldo para que o risoto chegue ao ponto certo – nem duro demais, nem desmanchando (é esse ponto intermediário que os italianos chamam de al dente – os grãos estão resistentes ao dente, mas macios).

Não deixe o risoto secar! Ele deve ser úmido, cremoso, como se você tivesse jogado um molho sobre ele.

Desligue o fogo, acrescente as raspas de limão (reserve uma “pitada”) e a manteiga, misturando.

Sirva imediatamente, com a pitadinha de raspas de limão por cima.

Dicas e Complementos

Risotos sempre devem ser servidos imediatamente.

Para uma xícara de arroz, você precisará, teoricamente, de quatro xícaras de caldo. Como um tanto sempre evapora enquanto ferve, gosto de fazer sempre uma ou duas xícaras a mais. Não é necessário aumentar a quantidade de envelope ou tablete de caldo, porque a água irá mesmo evaporar durante a fervura e o caldo ficará na concentração correta.

Se você escolheu um vinho pelo menos razoável para preparar o risoto, sirva-o para acompanhar a refeição.

  • Tempo de preparo: meia hora
  • Grau de dificuldade: fácil
  • Rendimento: duas porções

Fondue de Queijo

O friozinho de julho pede fondue… Não sou fã do fondue de carne, que nada mais é que carne frita em imersão – normalmente,  encharcada e esturricada. Em compensação, não recuso os de queijo e de chocolate.

Resolvi me aventurar a fazer um fondue de queijo (o de chocolate já é meu velho conhecido), mas não queria usar aquelas massas prontas de supermercado. Com as dicas da minha amiga Andie, fiz um delicioso e do zero. Não é difícil, mas você precisa de paciência (e de braço, também).

Ingredientes

  • 400 gramas de queijo ementhal
  • 400 gramas de queijo gruyère
  • 2 xícaras (chá) de vinho branco
  • 3 colheres (sopa) de conhaque
  • 1 dente de alho descascado
  • noz-moscada ralada na hora
  • pão italiano cortado em cubos

Você também precisará de

  • panela para derreter o queijo
  • panela, rechaud (fogareiro) e garfos para servir o fondue

Preparo

Deixe os queijos e o vinho em temperatura ambiente.

Esfregue o dente de alho na panela que usará para fazer o fondue, e descarte-o.

Pique os queijos em cubos. Não é necessário ralar ou picar demais, mas facilita ter cubos pequenos,  do tamanho você usaria para uma tábua de frios.

Fondue de Queijo
No ponto para servir.

Leve ao fogo metade do vinho e parte dos queijos (um quarto, mais ou menos). Quando o vinho começar a ferver, baixe o fogo e comece a mexer (você não vai mais parar). Quando a mistura estiver derretida (ou quase), acrescente mais queijo. Prossiga até derreter tudo, sempre mexendo. Acrescente mais vinho conforme necessário.

Junte o conhaque, rale a noz-moscada sobre a panela, misture tudo e transfira para a panela que usará para servir o fondue. Leve-a imediatamente ao rechaud e mantenha a chama acesa, cuidando para não queimar o fondue.

Sirva com o pão italiano cortado em cubos.

Dicas e Complementos

Usei apenas uma xícara e meia de vinho. O restante, só precisei usar quando reaqueci a mistura. Tenha sempre vinho a mais, caso seja necessário reaquecer ou diluir o fondue, e não jogue vinho frio sobre o fondue quente – o vinho deve estar morno (vale aquecer no microondas).

Não use noz-moscada em pó – ela não tem um décimo do sabor da que você rala na hora.

Você pode fazer o fondue na panela em que o servirá, mas não recomendo. Primeiro, porque é melhor usar uma panela maior para mexer bem os queijos; segundo, porque a panela de servir geralmente é de inox, e você preferirá ter feito o fondue numa panela antiaderente na hora de lavar a louça.

O acompanhamento clássico do fondue de queijo é o pão cortado em cubos, mas você também pode experimentar:

  • palmito
  • batatinhas sem casca cozidas (a segunda melhor coisa – o pão sempre ganha)
  • tomates-cereja inteiros
  • palitos de cenoura

Não use um pão macio: ele se soltará do garfo e ficará preso na panela. O pão italiano é o ideal.

Enquanto você e seus convidados se servem, aproveitem para mexer o fondue: espetem o pão no garfinho e dêem uma passeada pelo interior da panela. Isso ajuda a misturar bem os sabores dos queijos e evita que o fondue queime.

Se estiver queimando, apague o rechaud e torne a acendê-lo quando a mistura esfriar.

O ementhal é um queijo amarelo e macio; o gruyère é mais duro, mais curado e com um gosto mais penetrante. A mistura deles resulta num sabor equilibrado e num fondue de textura mista: ele não fica homogêneo, por mais que você mexa, porque o gruyère não derrete bem (mas ele é essencial para que o fondue fique cremoso e saboroso) e separa-se facilmente do ementhal.

Sobrou fondue? Guarde na geladeira (na panela antiaderente); no dia seguinte, leve ao fogo com um pouco de vinho branco para derreter, adicione mais de noz-moscada se quiser e, quando o fondue estiver bem derretido, acrescente uma caixa (200 gramas) de creme de leite. Misture bem e você terá um delicioso molho de queijo para massas.

Curiosidade: a receita tradicional usa kirsch, um destilado de suco de cereja.

  • Tempo de preparo: 50 minutos
  • Grau de dificuldade: moderado
  • Rendimento: serve bem seis pessoas

Macarronada Primavera

Receitinha inventada com o que havia na geladeira na hora do aperto. Fique à vontade para mudar os ingredientes. O nome foi inspirado no colorido final.

Ingredientes

Macarronada Primavera
Ingredientes principais.
  • azeite
  • 1 cebola média picadinha
  • 6 dentes de alho pequenos amassados
  • sal
  • 6 tomates grandes bem maduros sem pele e sem sementes
  • meio pimentão verde cortado em tiras
  • meio pimentão amarelo cortado em tiras
  • umas 12 ou 15 azeitonas pretas sem caroço
  • 1 vidrinho de cogumelos em conserva picados ao meio
  • pimenta-do-reino
  • manjericão ou salsinha (opcionais)
  • 400 gramas de macarrão de boa qualidade
  • 1 colher (de sopa) cheia de manteiga (opcional)

Você também precisará de

  • panela para fazer o molho
  • outra panela para preparar o macarrão (ganha-se tempo)
  • escorredor de macarrão

Preparo

Comece despelando os tomates e tirando as sementes. Pique-os em pedaços pequenos e reserve.

Na panela em que você vai preparar o molho, coloque o azeite, o alho amassado, a cebola picadinha e uma boa pitada de sal. Em fogo baixo, frite até a cebola ficar transparente.

Acrescente os tomates picados e, mexendo de vez em quando, espere que derretam um pouco. Se preciso, acrescente água, mas o ideal é que os tomates estejam tão maduros que não seja necessário.

Junte os pimentões e as azeitonas. A partir de agora, haja fogo para transformar o tomate em molho. Confesso que não tenho paciência para obter um molho lisinho – o meu sempre fica pedaçudo. Mesmo assim, gasto uns 40 minutos só no molho.

Aproveite para ajustar o sal e temperar com pimenta-do-reino, manjericão, salsinha e o que desejar ou tiver em casa.

Uns 15 minutos antes do molho ficar pronto, leve uma panela alta ao fogo com uns quatro litros d’água e um punhado de sal. Quando ferver, acrescente o macarrão de boa qualidade. Confira a embalagem para verificar o tempo de cozimento e lembre-se: o macarrão deve ficar al dente (oferecendo leve resistência ao ser mordido) – nada de deixá-lo derreter.

Macarronada Primavera
É ou não é colorida?

Escorra o macarrão na vasilha apropriada e dê uma passada pelo jato d’água fria da torneira para interromper o cozimento. Isso evita que ele grude. Despeje-o na travessa de servir e, se desejar, misture a manteiga até que ela derreta. Tudo fica melhor com manteiga.

Ah, sim: faltaram os cogumelos. Eu prefiro jogá-los na panela instantes antes de tirar o molho do fogo, só para que esquentem.

Gosto de deixar macarrão e molho em vasilhas separadas, para que cada um se sirva como preferir.

Dicas e Complementos

Queijo ralado de qualidade e um bom vinho sempre acompanham bem uma macarronada.

Se não der pra sincronizar o preparo do molho com o do macarrão, deixe o do molho por último. Jogado fresco e quente por cima da massa, ninguém vai perceber se ela já estava pronta há 10 ou 15 minutos.

  • Tempo de preparo: umas duas horas (despelar tomate e picar tudo leva algum tempo)
  • Grau de dificuldade: moderado
  • Rendimento: para 2 pessoas