Espresso ou Expresso?

Quando eu tinha o Espresso do Meio-Dia, não era raro que alguém “corrigisse” o nome do blog, insistindo que “espresso” é com “x”. Bem, não é com “x”. O “espresso” que remete ao cafezinho é com “s”. Acredite.

Expresso ou Espresso?
É uma batalha perdida, reconheço. Foto: centro histórico de Paracatu.

“Espresso” é uma palavra do italiano e significa “espremido”, porque nessa técnica o café é extraído com o uso de pressão. Uma máquina de espresso aplica uma pressão de 9 bar (9 “atmosferas”) para extrair a bebida. Em português, “espremer” e “espremido” também são com “s”, como em italiano, o que torna ainda mais descabida essa grafia com “x”.

Provavelmente, o hábito de escrever “expresso” faz referência à “rapidez” com que é servido o cafezinho. Só que, na verdade, preparar um espresso nem é assim tão rápido se você tiver que ligar a máquina e esperar até que fique pronta para a extração – isso é nítido se você tiver uma máquina doméstica. Acontece que a maioria das pessoas toma espresso apenas na rua, e os bares e restaurantes deixam a máquina sempre no ponto, o que leva à ilusão de que o espresso é… expresso.

Por fim, cabe lembrar que o resto do mundo escreve espresso (embora já comece a aparecer “expresso” no idioma inglês com certa frequência, também em associação à suposta rapidez do método de preparo, derivando a nova grafia do termo “express”).

Masala Chai

Habemus invernum em Brasília!

Dá até medo de comemorar, porque nos últimos anos o inverno por aqui durou umas duas semanas. Se tanto.

Enfim, enquanto temos um friozinho gostoso, aproveito pra renovar meus apetrechos de chás e café, e pra inventar moda. A desse ano é o chai.

Masala Chai

O chai, ou masala chai, é uma bebida originária da Índia feita com chá preto, leite e masala. Já a masala é uma mistura de especiarias que dá um toque bem picante à bebida.

Existem mil maneiras de preparar chai (invente uma). Aqui, acrescento uma colher (chá) rasa de masala a uma xícara (chá) de leite e levo ao fogo baixo, mexendo a leiteira de vez em quando pra que demore mais a ferver e para que os sabores da masala se incorporem melhor. Enquanto isso, fervo uma xícara (chá) de água e preparo o chá preto usando dois saquinhos. Depois, passo o leite numa peneira fina para segurar a maior parte da masala (não segura tudo porque minha peneira não é tão fina), misturo ao chá e está pronto. Rende duas xícaras (o que, pra mim, é dose única).

Como eu disse, existem várias maneiras de preparar o chai:

  • eu uso leite desnatado, mas reza a lenda que as especiarias soltam mais aroma e sabor se você usar leite integral;
  • tradicionalmente, junto com o leite ferve-se uma colher (sopa) de açúcar ou mel;
  • também tradicionalmente, levam-se todos os ingredientes ao fogo de uma vez, usando chá preto a granel – ainda não fiz assim simplesmente porque não achei chá preto a granel (a propósito: use chá barato, não acrescentará nada à sua bebida usar um twinings ou semelhante).

Se levar todos os ingredientes ao fogo ao mesmo tempo, retarde a fervura mexendo a leiteira de vez em quando. Assim que ferver, desligue o fogo e deixe a bebida descansar por uns três ou quatro minutos antes de coar e servir.

E a masala?

Também existem mil maneiras de preparar masala. Os ingredientes mais comuns são canela, cardamomo, pimenta-do-reino, gengibre, cravo-da-índia e nós-moscada. As proporções variam enormemente. Eu fiz assim:

  • 1 parte de canela em pó
  • 1 parte de cardamomo em pó
  • 1 parte de pimenta-do-reino preta em pó
  • 1/2 parte de gengibre em pó
  • 1/2 parte de cravo-da-índia em pó
  • 1/2 parte de nós-moscada em pó

Misture tudo e guarde num pode vidro com boa vedação. REcomenda-se 1/2 colher (chá) de masala para cada xícara, mas isso depende do quão apimentado você quer o seu chai.

Masala Masala

Às vezes, quando não estou a fim de tomar leite, acrescento uma pitada de masala ao chá preto e mais nada. Também faço o inverso (uma pitada – mais generosa – de masala ao leite, sem o chá) de vez em quando.

A Arte de Julgar Latte Art

Latte art é a arte de fazer desenhos em bebidas preparadas com café, leite e espuma de leite. Tem sido cada vez mais comum ver esses desenhos por aí, e adoro quando vou a um café e recebo minha xícara com um deles, por mais simples que seja – para mim, isso indica um cuidado extra no preparo da bebida e uma atenção a mais com o cliente.

Com a popularização da latte art, surgiram até campeonatos, nos quais as habilidades do artista são julgadas segundo diversos critérios:

  • equilíbrio e simetria (traço uniforme e sem hesitação)
  • harmonia (entre o tamanho do recipiente e o tamanho e posição do desenho
  • clareza do desenho (contraste)
  • qualidade da textura do leite (algo que requer muita prática)

Você pode ler mais neste texto do Salon.com. Repare como cada artista executou o mesmo desenho de formas completamente diferentes.

Eu, que mal desenho casinha com chaminé, só posso admirar a latte art. Em 2010, numa visita ao McCafé, fiquei impressionada com a precisão com que esses desenhos são executados. As fotos abaixo foram tiradas nesse dia e os trabalhos são do barista Andrea Lattuada (clique para ampliar):

Latte Art Latte Art

Latte Art Latte Art

Latte Art Latte Art

Lindos, não são?